domingo, 27 de agosto de 2017

As flores do caminho

As respostas que buscamos vivem dentro de nos... mas muitas vezes não temos a paz de espirito de buscar, de mexer no nosso interior.
Estou sempre brigando e me queixando com o tempo. Mas ele é o senhor de tudo, quem sempre me ensina que ele quem conserta e acalma tudo.
E tudo faz sentido com o tempo.
Mas mesmo assim, vivo me queixando de que as coisas demoram, que quero para ontem, que meus planos não acontecem.
Meio ano se passou. E nada aconteceu. Nada daquilo que planejei.
Mas um novo mundo se abriu.
E olhando com carinho, percebo que TANTA coisa aconteceu!!!
Ah, tempo... como vc é engraçadinho!
Nesse semestre ganhei novas amigas. A cada dia que passa, vejo quanta sorte eu tive de ter conhecido as mães da escola nova. E o rol de amizades da Beatriz, nem se fala. Hoje ela tem 40 amiguinhos.
Dez do primeiro ano, dez do segundo ano, e vinte desse ano. E ano que vem haverão mais dez novos.
Aos cinco anos, ela terá estudado com 50 criancas.
Isso é um privilegio!!
Eu, que la atrás era contra misturar as salas, hoje entendo, apoio e me divirto com isso. Claro que fazer festas de aniversario se tornam cada ano mais difíceis, mas o que vale sao os 364 outros dias, onde convivemos com pessoas diferentes, ganhamos amizades, enriquecemos nossa vida.
O tempo vem me ensinando que o momento atual é um presente. Que o passado é rico, que o futuro é maravilhoso, mas o presente... ah, é mesmo um PRESENTE viver!!! E percebi que ainda que caminhemos olhando para frente, visando apenas o futuro, a grande graça da vida é viver a caminhada.
Passei anos da minha vida tentando engravidar.
E congelei a vida enquanto não engravidei.
Dai, apos algumas tentativas, pá, consegui. E aqueles nove meses voaram... e os anos ao lado da Be vem voando ainda mais rápido. Preciso aproveitar cada momento. É preciso viver cada segundo.
A vida passa rápido demais.
Desde o inicio do ano acordo e vou dormir, todos os dias, sonhando com a casa nova. Desde janeiro, não houve avanço algum em relação a isso. Mas desde janeiro, tive tantos momentos felizes. Percebi tantas coisas que sentirei saudade. Estou naquele processo de despedida da minha vidinha, das pessoas, da feira aos domingos.
Acho que no fundo so damos valor quando perdemos. E ao pensar em tudo que deixarei para tras, estou vivendo um processo de despedida, de curtir ao máximo. Como aquela pessoa que tem uma doença e sabe que tem poucos dias de vida. O que vc faria se so tivesse um mes de vida??
E porque vc não vive sua vida dessa forma????
Porque não aproveitamos cada segundo??? Onde mesmo que temos a certeza de que a vida sera longa? Se a gente conseguir viver com intensidade, se conseguir viver o presente como um PRESENTE, a vida sera mais doce.
Nesses seis meses nos sentimos em casa no clube.
Me sinto num roda de amigas com as mães novas.
Seis meses não é nada!!!
Mas foi o tempo que levei para me adaptar, me acostumar, me sentir em casa.
Quando a gente finalmente mudar, tenho que me lembrar de me dar um tempo de ao menos seis meses para tudo entrar nos eixos, tirada a fase inicial de deslumbramento do novo e luto da despedida do conhecido.
Deixar para tras tudo o que é certo, conhecido, sabido, para mim é triste. Mas existe um deslumbramento oculto no novo, na esperança, nos planos.
O tempo dirá, o tempo vai mostrar, o tempo vai ensinar.
Sempre ele...
Nunca mais soube da BFF.
Eramos amigas desde os 4 anos. Imaginei que seriamos amigas velhinhas. Mas não adianta fazer planos, porque a vida se desenrola de outra forma. Quando fiquei gravida, contei para ela no mesmo instante em que contei para minha irma. E ela agora gravida de 4 meses e meio, ainda esconde isso de mim. (sim, o mundo é pequeno, sim, ja sei que ela ta gravida sem ela ter me contado).
Ainda tenho minhas amigas de solteira, de “antes de beatriz”. Ela poderia ter se mantido na minha vida, mas talvez eu tenha me tornado outra pessoa, ou ela... ja nem sei mais. Na ultima vez em que saímos para almocar, faltou assunto.
O que é grave.
Eu tenho assunto para horas com qualquer pessoa.
E dai percebo que os amigos que mais conversamos atualmente sao os que conhecemos na escolinha. Não sao os amigos da vida toda, mas os de três anos.
E me dou esse prazo...
Para em três anos ter amigos verdadeiros nos estados unidos, ainda que la as pessoas sejam mais fechadas, reservadas.
E assim ando vivendo.
Um pe no futuro, olhar no presente, e o coração cheio de bons momentos, de historias que vao se tornar lembranças felizes de um tempo em que eu esperava as coisas acontecerem, mas aproveitava cada momento.
Ha dois anos atrás, quando tive o diagnostico da tireoide, me lembro de uma esposa de um amigo do ma.
Psicologa (!!!!), ela virou para mim e falou:
-       Não se assuste. Sei que um diagnostico de câncer é um atestado de óbito, mas você não vai morrer, viu?
Oooooooi??
Foi ótimo ela ter dito isso. Não tinha me sentido ate aquele momento tao perto da morte, não tinha me dado conta. Foi o infeliz comentário quem me mostrou que eu morreria. Não ali, mas um dia.
Foi aquele infeliz comentário que me mostrou que eu precisava aproveitar a vida. Que eu ia morrer -  dali a 90 anos -, mas eu ia morrer.
E desde então, aprendi a lição: façamos nossos planos. Sonhemos. Acreditemos que vamos concretizar, que vamos vencer, que vamos conseguir. Mas o que vale é a caminhada.

Não deixem de colher as flores do caminho.

2 comentários:

  1. Queria eu ter a minha Beatriz e poder pular também de fase. Ter uma nova vida e novos amigos. Infelizmente você sabe como é complicado olhar positivamente as coisas enquanto você está travando batalhas e perdendo.

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Lindo texto amiga, vc é pura emoção! Te amo

    ResponderExcluir