segunda-feira, 29 de maio de 2017

Como lidar com as tragedias??

Preciso de ajuda.
Sabiam que cada post é lido por 500, as vezes 1.000 pessoas? Será que alguem de vcs que me lêem  pode me ajudar???

Estou sempre aqui. Compartilho da dor da luta, do desejo de engravidar, das investigacoes, exames, dos porques. Tambem compartilho dos positivos, e a alegria me transborda. Mas inevitavelmente, aparecem tragedias.

E não estou sabendo como lidar com elas. Acabo compartilhando delas. Sofro com elas. Voces nao imaginam como eu sofro!!!
Tem noites que eu choro, choro, choro, como se o meu choro pudesse aplacar a dor de quem esta passando pelas dificuldades.
A historia da Amanda mexeu muito comigo. Depois ouvi outra historia, de um bebe que enroscou no cordao. Depois uma funcionaria nossa, muito querida... Num exame de rotina ela descobriu que a bebe linda e amada dela não formou o cerebro. Deve nascer e morrer, porque o cerebro quem comanda os orgaos vitais... E ela esta gestando essa bebe tao amada, e esse luto.
Porque, meu Deus, porque?????

E vendo lacinhos e uma cliente veio em casa. poucas vem. Mas essa quis vir.
Chegou super barriguda. Linda, alegre. Comprou os lacinhos amarelos, dizia que amarelo era a cor da felicidade. "Ja viu alguem ver algo amarelo e não sorrir?" A bebe dela faleceu, dez dias apos nascida.

PORQUE????


E vejo minha filha, com saude. E tenho medo.
Medo das desgracas que escuto, tao proximas a mim.
medo de perder minha filha. como esses relatos horrorosos que vivencio com tanta frequencia. Ando com medo da estrada. Medo de acidente. Medo medo medo.

NAO ESTOU MAIS SABENDO LIDAR COM TUDO ISSO.

Tenho medo que algo aconteca com a Bia.

Vivo essas dores dessas pessoas e não sei como separar a dor do outro da minha dor.

Como fazer? Como lidar, me proteger, me ajudar?


13 comentários:

  1. Oi Taís, sou a Fabi! Te acompanho há mto tempo...Me identifico mto com vc, adoro o jeito q vc escreve! Realmente sou uma daquelas 500 ou 1.000 pessoas que leem o blog mas acabam por não comentar. Um dia eu cheguei a fazer um comentário grande, contando minha história, te elogiando, etc... mas aí tem uma tal conta q tem q criar, acabei não mandando! Agora vamos de novo, pq VC pediu, vou até o fim!

    ResponderExcluir
  2. Seja um pouco egoísta. Tenha empatia sim, mas seja egoísta. Lembre que a dor é delas e não sua. Sua vida está em ordem... Lembre que as histórias são tristes, mas que não há nada que você possa fazer que irá mudá-las. Ofereça palavras de consolo e abraços a essas pessoas que sofrem. Mas lembre que a dor é delas. Não sofra por aquilo que você não pode mudar.

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um pouquinho de egoismo nao vai fazer mal ne? ;)

      Excluir


  3. Olá,
    Meu nome é Felicidade. Sou casada com o Tempo. Ele é responsável pela resolução de todos os problemas, ele constrói corações, ele cura machucados, ele vence a tristeza… Juntos, eu e o Tempo tivemos três filhos: a Amizade, a Sabedoria, e o Amor.
    Amizade é a filha mais velha. Uma menina linda, sincera, alegre. A Amizade brilha como o sol. A Amizade une pessoas, pretendendo nunca ferir, sempre consolar.
    A do meio é a Sabedoria. Culta, íntegra, sempre foi mais apegada ao pai, o Tempo. A Sabedoria e o Tempo andam sempre juntos!
    O caçula é o Amor. Ah! Como esse me dá trabalho! É teimoso, às vezes só quer morar em um lugar… Eu vivo dizendo: Amor, você foi feito para morar nos corações, não em apenas um só. O Amor é complexo, mas é lindo, muito lindo. Quando ele começa a fazer estragos eu chamo logo o pai dele, o Tempo, e aí o Tempo vem fechando todas as feridas que o Amor abriu!
    E tudo no final sempre dá certo, se ainda não deu, é porque não chegou o final.
    Por isso, acredite sempre na família. Acredite no Tempo, na Amizade, na Sabedoria e no Amor. Aí, quem sabe, eu, Felicidade, não bato à sua porta.

    Tudo no Tempo de Deus e nao no nosso!!!
    (Autor desconhecido)

    ResponderExcluir
  4. Não posso ajudar, mais eu entendo esse sentimento.
    Depois de ter meu filho, tenho muito medo:
    medo de perde-lo
    medo de morrer e não participar da vida dele...
    medo de coisas ruins, que podem acontecer.
    Quando sei que alguma mãe perde seu filho, acho que sinto a dor de forma mais intensa, agora que como mãe, conheço nosso amor.
    sou cristã, frequento missa, acredito em Deus,e por isso parece absurdo eu ter todos esses medos...
    não ajudei, e piorei né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. de forma alguma piorou. Acho que esse medo é um brinde da maternidade, so pode...

      Excluir
  5. Ohhh minha querida, deu para sentir daqui toda essa angústia, toda essa tristeza...são histórias que realmente tocam nossos corações...eu passei por tristezas e perdas horríveis, conversando com a Amanda me dei conta do quanto elas eram horríveis, que mesmo tendo passado por elas não sabia o que falar para tentar amenizar um pouco a dor que ela sentia...e sabe o que eu descobri? Que um abraço, uma palavra amiga ou somente um "oi" pode ajudar muito, em minhas orações peço muito pela saúde das crianças que conheço, do meu filho, pois hoje esse é o único bem que realmente importa e também vivo esses medos, também luto contra eles para não trancar meu filho em casa, uma das minha melhores amigas perdeu uma filha com 1 ano e 8 meses, conversamos quase todos os dias e hoje depois de quase 5 anos dessa tragédia, eu a admiro muito, pois a vida continuou, ela agora tem dois meninos, está retomando seu trabalho como personal e vive com o sorriso no rosto, o coração ainda sofre muito, mas ela escolheu continuar, e o caminho que ela encontrou está sendo maravilhoso e com ela descobri o poder de um abraço, de um sorriso e de um simples "oi"
    Seu coração é grande demais, não sofra por ser assim, aceite ser assim, aceite sua missão de ajudar o outro, você sempre será capaz!!!
    Um abraço bem apertado!!!

    ResponderExcluir
  6. Ahh Taís, tem tanta coisa que gostaria de te falar... são alguns anos acompanhando tuas postagens... e não tenho o mesmo dom q vc tem para escrever! Sim, vc tem um DOM muito especial: Consegue escrever de uma forma envolvente, parece que estamos sentadas em um café, conversando.. Tipo amigas da vida toda... BFF como vc fala!!
    Eu li seu blog todo qdo estava tentando engravidar. Depois qdo engravidei li ele todo de novo, cd etapa da gestação, nascimento e maternidade.. ia lendo pausadamente, para q os seus relatos acompanhassem cada fase do que eu estava vivendo! Foi fantástico! Nossa, como eu ri e tb como chorei com seu blog! A riqueza de detalhes com que vc descreve as situações, lembro até hj do posto sobre o nascimento da Bia! Foi demais...tb os relatos das outras tentantes, nossa, qta emoção, qtas lágrimas..Isso dentre tantos outros. Enfim, quero dizer que vc é uma pessoa Mto especial na minha vida e tenho certeza que na vida de tantas outras mulheres, sem nem ao menos nos conhecermos.. maluco isso, né?! Algo de mto bom nesses nossos tempos modernos.
    Quero, então, agradecer por tamanha generosidade em compartilhar a sua vida, em ajudar tanta gente!!!
    E aí vai meu primeiro conselho: usa mais esse teu dom para escrever.. Já pensou em publicar um livro?? Sério mesmo! Eu compraria certo e indicaria para mtas amigas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada querida. vc nao é a primeira a sugerir isso, mas nao me considero capaz de um livro nao rsrsrsrsrsrs so meu bloguezinho mesmo... obrigada por responder... bjs

      Excluir
  7. Pôxa Thaís, vc tem toda razão, te entendo perfeitamente!
    Qdo estava grávida do meu primeiro filho aconteceu um crime horroroso em meu estado onde uma mulher roubou o bebê de outra de uma maneira desumana. Não cabe aqui comentar mais tragédias, não quero que se sinta mal com mais isso.
    Realmente não temos como nos proteger. É difícil ser mãe e não ficar apreensiva por seus filhos vendo tantas coisas horríveis acontecerem. A gente só se pergunta, porque meu Deus?? Para quê?
    Bom, minha Anninha nasceu no dia 10/05 com 38 semanas. Eu esperava que nascesse um pouco depois já que o irmão nasceu com 40. Minha bolsa ficou rôta e aí tive que fazer uma cesárea às pressas p/ evitar que o líquido fosse embora rapidamente. Graças a Deus deu tudo certo.
    A questão agora é ajustar o sono, afinal estou com dois bebês, ela de 1 mês e ele de 1,5 anos. Mas enfim, qdo fiz as tentativas de FIV aceitaria de bom grado se fosse uma gestação gemelar. Deus pensou bem e fez o seguinte, me deu ele primeiro e depois de 10 meses do nascimento dele me presenteou com ela de maneira natural... falou assim: "Não vou te dar gêmeos pq vc precisa aprender como se tornar mãe, mas não se preocupe, em pouco tempo te mando a princesinha". E assim veio a minha Anna Beatriz.
    Para todas as leitoras de seu blog, lembre-se, vc é sinônimo de perseverança e esperança. Portanto, embora fique abalada, saiba, suas palavras encorajam muitas mulheres.
    Beijos em vc e na sua princesa.
    Mineira Observadora

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mineira querida e desaparecida!!! Que bom que voltou, estava com saudades e me perguntando de vc. Bem vinda a maternidade rosa.... é o maximo!!!!! Dia desses, uma mae quis que eu conhecesse as filhas que tinham comprado meus lacinhos. Elas estavam, as duas, tomando banho na banheira, juntas. Que farra boa. Que amizade gostosa. Era uma diferenca de idade tambem pequena. Acredito que no inicio sejam dois bebes, mas serao companheiros para a vida toda. Compania para brincar, para comer, para dormir. Nao pode haver no mundo presente maior a um filho que um irmao ou irma assim proximos. bjs

      Excluir