terça-feira, 10 de maio de 2016

Rompendo ciclos

Bem meninas, para quem me acompanha no insta (lindo.laco) sabe que eu estou trabalhando que nem doida (gracas ao bom D'us!!) e fazendo vestidinhos. Futuramente, tambem camisas!!!
E com isso estou bem afastada do blog.
Mas nao foi so isso, tive alguns problemas pessoais que me fizeram afastar.
Minha mae, que ja é infartada, teve um piripaque dia desses. Tenho as duas avos vivas. A avo do meu pai esta otima. 92 anos, ativa, ainda advoga. Nao nos da trabalho nenhum, so quando temos que nos deslocar para prestigiar suas homenagens e recebimentos de medalhas. Minha avo tem ate chave de cidade!!!
Mas a mae da minha mae, quem me ensinou tudo o que sou e tudo o que sei, esta doentinha. Ela morava numa casa no bairro do brooklin na minha infancia. Passava as ferias na casa dela, era o maximo. Minha mae tinha que trabalhar nas ferias (professores trabalham uma semana depois e duas antes das nossas ferias) e entao ficavamos ali. Não tinhamos grandes programas. O maior programa era estar ali. Ela costurava, bordava, pintava, cozinhava. E tinhamos o quintal com grama, arvores, flores. Ela era baixinha, estava sempre arrumada, perfumada, bem vestida. Era uma pessoa extremamente agradavel, sorridente, educada. Falava baixo, era culta e extremamente amorosa, carinhosa. Fazia carinho na gente, dava beijo, abraco, colo. Aprendi a cozinhar com ela. A pintar pano de prato, com ela. A costurar, a bordar. Aprendemos a xingar em arabe. Ela era filha de libaneses, e escutava sempre as historias que ela contava dos pais, dos tios, da casa linda que meu bisavo Nagib deixou em Beiruth.
... Hoje, na cadeira de rodas, de fraldas, e sem consciencia alguma das coisas. Fica ali, sentada, caindo para os lados, com aquele olhar fixo no nada, e aquele sorriso de quem a vida toda foi agradavel. Ja nao sabe o nome dela, o nome das cuidadoras, das filhas, das netas. Sequer sabe dizer que tem tres filhos, cinco netos e uma bisneta. Sabe apenas que existe um menino na familia - a Beatriz.
Conviver com ela te deixa para baixo. E conviver com os problemas referentes a todo o universo de uma idosa doente, destroi qualquer pessoa. E esta corroendo, destruindo, a minha mae.
E apos esse piripaque, ela teve que ficar em sao paulo por ordens medicas, e achamos melhor isolar ela do mundo aqui, em casa.
Cada vez que visito minha avo com Beatriz, percebo as curvas crescentes e decrescentes. A cada semana, Beatriz fala mais, danca mais, entende mais. Beatriz esta crescente, desenvolvendo-se, aprendendo.
E noto que a cada novo aprendizado de Beatriz, minha avo recolhe-se mais e mais. Mais curvada, mais ausente, mais dependente. Sempre penso naquele filme "O estranho caso de Benjamim", e saio de la com o sorriso nos labios e o coracao sangrando.
Alias, ja estou chorando.
Ja fazem uns 4 anos que fiz um kibe assado e juntou agua. Nunca tinha acontecido isso. Peguei o telefone e disquei na casa da minha avo, como sempre fiz. E antes de atender, me dei conta de que ela não poderia mais me ajudar. Naquele dia, ha quatro anos atras, percebi que a minha avo tinha morrido. Ela ja nao esta com a gente ja faz anos, mas a presenca ausente dela é de matar qualquer um.
E esta matando a minha mae.
E resolvemos deixa-la na ilha "casa da Thais" por dez dias. E minha mae ficou aqui, minha hospede prisioneira. Para Beatriz, foi o maximo. Ela aproveitou muito muito muito a presenca da avo.
Inclusive nos tambem aproveitamos, porque conseguimos sair para jantar num dia desses.
Para mim, foi excelente. Com minha mae morando aqui esses dez dias, ela pode sentir o que é a rotina da minha casa. Como vivemos. Nesses dez anos de casado, ela percebe muita coisa, mas vivendo aqui ela pode entender o que somos e como vivemos.
E estou escrevendo tudo isso por uma coisa que o ma acabou de me falar...
Num dia desses, numa birra da Bia, a Bia disse NAO. E logo depois disse: quero fazer xixi.
Entao eu disse a ela: NAO. E ela arregalou os olhos, e eu logo disse: viu? mamae sempre te trata com docura e vc deve tratar a mamae com docura. Se vc fizer feio com a mamae, é assim que a mamae vai fazer com voce. E peguei-a no colo, dei um abraco e fomos fazer xixi.
Enquanto estavamos no banheiro, minha mae chorou na mesa. Soube disso hoje.
Ela disse para o Ma que ela nao foi uma mae amorosa para nos. E que hoje sou para a Bia. E que ela se arrepende de nao ter sido assim conosco, mas que me admira por estar sendo uma boa mae.
Fiquei muito, muito feliz por peceber estar no caminho certo.
Por estar conseguindo romper o ciclo.
Obvio que tenho meus momentos. Que tento educar, e muitas vezes acabo sendo dura com ela. Fui educada assim e acredito que essa seja uma forma eficaz. Mas quando me bate a consciencia, amoleco e falo com docura e tento dar para Beatriz todo o carinho que sinto falta.
As maes que me leem, espero que possam fazer diferente. Espero que cada uma encontre em si os instrumentos para mudar o rumo de suas vidas, de romper os ciclos.
Boa semana!

4 comentários:

  1. Realmente enquanto lia pensei no filme filme O estranho caso de Benjamim Button...
    E também sou a favor da educação com amor...

    linda semana para vocES! bjos

    ResponderExcluir
  2. Tata realmente romper ciclo é difícil e quando conseguimos surge um sentimento de libertação... Vc faz o seu caminho e faz muito bem, todas nós te admiramos! Aliás daqui pra frente quero ainda mais conselhos, vou precisar ainda mais da sua amizade, da sua coerência, do seu humor rs as X sádico.. A gente adora! Amanda

    ResponderExcluir
  3. Tata realmente romper ciclo é difícil e quando conseguimos surge um sentimento de libertação... Vc faz o seu caminho e faz muito bem, todas nós te admiramos! Aliás daqui pra frente quero ainda mais conselhos, vou precisar ainda mais da sua amizade, da sua coerência, do seu humor rs as X sádico.. E A gente adora, se diverte, ri junto, chora junto... Que seja sempre assim, uma ao lado da outra para o q der e vier! Conte sempre com a gente! Amanda

    ResponderExcluir
  4. Tatá, faz tempo que não passo por aqui, mas hoje parei um pouquinho, sábia decisão, vc tem uma sabedoria que toca meu coração. Como disse leitora acima, faz bem seguir seguir seus conselhos. Na época da FIV vc foi essencial e hoje percebo que você será minha amiga que devo seguir, mesmo que virtualmente
    Adoro vc
    Beijos
    Cleia mãe dos gêmeos

    ResponderExcluir