domingo, 31 de maio de 2015

Aquario

Um terremoto passou por aqui e não consegui contar para vcs o meu fim de semana passado! Foi taaaaaaao legal! Fui fazer meu curso de pães! Eu sigo no instagram a paula Martins (vivessemtrigo) e a Alana Rox (theveggievoice). Elas postam diariamente receitas incríveis e infalíveis, e faço tudoooooo em casa. A Paula de vez em qdo da cursos, mas nunca consegui ir. São sempe aos sábados, e deixar a be é um acontecimento. Mas no sábado passado encarei. Deixei a. Be e fui! Foi doido porque chegando lá, encontrei minhas bffs virtuais. Só que elas não faziam a minimaaaaa idéia de quem eu era! \o/ rsrsrsrsrsrsrs estranho, para dizer no mínimo. Sei que assisti ao curso, e sai de la com mil receitas e cheia de vontade de cozinhar. E na segunda, que não teria aula na escola, encarei de levar a be para a zona cerealista comigo... Tirei o dia oara ficar com ela... Saímos as nove da manhã. Fomos para a zona cerealista... Estacionei, carreguei-a no colo, chegando na loja, pus no carrinho, comprei minhas farinhas alternativas, amêndoas, espessantes e de la fomos para a paula Souza comprar formas de pão. Pus no carrinho também..... E ela deu umas pequenas reclamadas, mas foi fácil administrar. De la, fomos para o aquário de São Paulo. Já ouviram falar? É muitoooo legal! Super arrumadinho! Tem os peixes, e quando vc pena que terminou, tem muito mais! Tem aqueles bichinhos do filme Madagascar (i lime moving moving...), leão marinho, urso polar, cangurus e até pingüins! Fomos no horário do almoço, e tivemos a sorte de ver os adestradores aumentar os animais! Achei que os animaiszinhos estavam muito bem cuidados e tranqüilos, foi um passeio super legal. Como era segunda, estava super vazio. Aos finais de semana deve encher mais. Demoramos quase duas horas, e levei a be no carrinho. Era 12:30 e ela não tinha comido quando saímos de la, com destino ao shopping paulista. Ela entrou no carro e não parava de falar do peixe, peixe, peixe... Até que pof, adormeceu. O cansaço era maior que a fome. Chegamos no shopping e ela estava com a mesma fralda desde as 9:00!!!! Tirei ela do carro, para o carrinho, e fui para o berçário. Arriscar uma assadura era demais, melhor arriscar de perder o sono. Tirei do carrinho, troquei, voltei pro carrinho e ela não acordou! Aproveitei para ir almoçar. Sentei num restaurante.... Pedi a comida.... Mastiguei! Comi comida quente! Com calma! Observei o movimento do shopping, enquanto ela dormia. Quando estávamos esperando a conta, o garçom tropeçou e a bandeja caiu no chão. Só por isso ela acordou, mas não chorou, acordou bem tranquila. Fomos até uma loja ver tênis para ela (o tênis de ir pra escola furou!) e comprei um lindo! Bem tênis, esportivo, mas super lindo, combina super com o uniforme dela. Quando ela começou a ficar impaciente, fui até o Viena, e fiz um pratinho. Arroz, feijão, tomate, milho, beterraba, frango, couve flor e brócolis. Ela comeu super bem, depois mandou meia papinha de banana (neste). Um gole de água e estava alimentada! De la, fomos para a casa de uma amiga, onde ela brincou com a amiguinha. Foi um dia tão feliz,.... Tão especial.... Que queria dividir com vcs! Fica a dica do aquário, achei um programa bem legal. Bjs

Nosso encontro!

Meninas, nosso encontro foi delicia! Acabou sendo um casa porque éramos em poucas, mas adorei conhecer pessoalmente vcs..... Minha casa estará sempre aberta, voltem sempre! Bjssss

Um dia após o outro...

Oi meninas!! Nada como um dia após o outro! Nossa, quarta foi punk. Não bastasse o medico, o choque de realidade, minha irmã não parava de falar! Aaaaah! Já assistiram o filme click? Então..... Affff! Mas passou! E a vespa foi embora, e passou a irritabilidade, e estou bem e feliz e disposta. E ansiosa, claro, e com medo e com tudo o que e normal e saudável. Mas otimista. Sei de muitas pessoas que passaram por isso e serei mais uma nas 99% da estatística de cura! Na sexta liguei para o medico (demorei para processar, tico e teco fizeram uma greve essa semana!) e agendamos a cirurgia, será na sexta-feira dia 5/6. No Einstein. A que horas, não sei. Quando interno não sei. Quantos dias fico não sei. Qual será o tratamento não sei. Na quarta a tarde vou no consultório e tirarei algumas dessa dúvidas. Tenho para mim que não e um bicho de sete cabeças, descobri rápido e farei o que for necessário. Minha irmã me falou (que desnecessário!!) que um dos tratamentos é tomar iodo radioativo, ficar vinte dias sem ver a be nem a cachorrinha e ficar isolada. Ouvir isso foi absurdo de doído, mas quer saber? Foda-se! Tomo o que for para VIVER. Faço o que for para continuar sendo a mãe da be. Dia 23/7 é o meu aniversário e terei muitos motivos para comemorar esse ano de VIDA que vou receber. Tudo tem um propósito... E se era para passar por isso, vou passar de cabeça erguida e peito cheio de amor e esperança. Toco minha vida normalmente até quarta, quinta é feriado e aniversário da minha mãe, e sexta vou operar. Passei numa loja e comprei umas calcinhas e uns pijamas para dar um pouco de dignidade à esse momento. Meus pijamas andavam seguindo a linha "quanto mais velhos melhor" e não quero parecer uma sem teto no hospital. Agora é aguardar.... Agradeço a todas pela força e sim, orem por mim. Volto para avisar a hora da cirurgia! Bjs e boa semana!

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Vespa zunindo

meninas, eu que sempre tenho uma palavra de apoio e consolo.... nesse momento estou escrevendo para compartilhar, para dividir, para não explodir. Estou com um zunido dentro da cabeça, da alma, do coração. ... Ha dois meses atras, marquei consulta de rotina com a dra. Embora ela não atenda mais rotinas, eu insisti, e por fim, consegui um horario. Quem acompanha o blog sabe meus motivos, e poxa, eu confio tanto nela... não poderia passar com outra GO. Nada de mais. Consulta de rotina, queria ja pedir meu mileriano para poder postergar o segundo filho, dentro de uma zona segura, sabe. Quem mais me entenderia> A dra, claro! Na consulta, ela me lembrou que eu tinha ficado devendo um exame pra ela, do ano passado. Tinha feito um us que mostrava um crescimento do nódulo da tireoide, e ela pediu que eu investigasse. Fui ao endocrino, mas ele me tranquilizou dizendo que não precisava me preocupar, que 80% das mulheres tem nódulos na tireoide, blablabla. Tinha encerrado esse assunto. Dai disse para ela que duvidava que ele iria mudar de ideia. Ele e um medico antigo, super renomado, quem cuida ha anos da minha avo, do meu pai... e de mim. Mas que eu faria esse exame que ela achava, que poderia me passar o pedido. Uma amiga, também paciente da dra, tinha acabado de investigar a tireoide e tinha encontrado um carcinoma. Essa amiga mora em outro estado e veio aqui porque uma parente tinha descoberto a doença e ela resolveu investigar. Essa amiga veio em casa, almoçamos e conversamos muito. Ela e paciente da dra e tem uma filha da mesma idade que a Be. Foi uma tarde deliciosa, e o resultado do exame dela chegou no dia seguinte. PA: câncer de tireoide. Fiquei assustada... Tao jovem. Mas no caso dela nao havia como fugir do fator hereditario... Liguei no laboratorio e pedi para fazer com a mesma medica que a amiga tinha feito o exame. Conversando com a medica, ela no final do exame disse assim: parece que vc combinou com sua amiga. Seu resultado vem na semana que vem. Vou mandar o material para analise. Mas posso te adiantar que não esta muito bonito... E comecou a falar sobre o câncer de tireoide e tals.... Sai da sala incomodada. Sabia que eu nao tinha nada, mas um pouco tonta. Liguei para o marido, que me tranquilizou com o mesmo blablabla que ouvimos no ano passado do endocrino.Que 80% das mulheres.....blablabla. Bem, seja o que for, D-us esta comigo, pensei. Ninguém passa um dia sem que Ele nos guie, veja, ampare. Se for para ser, estou. Se não for, não estarei. Liguei para conversar com a Mari, mas ela ficou tao nervosa que depois me arrependi. Poxa, a menina gravida e eu passando problemas para ela. Voltei para casa, mas não passei bem naquele dia. Acho que era nervosismo. Muita dor de cabeça, e enjoada. So fui melhorar na quinta a tarde. affe. Nao toquei mas no assunto, ja que a mim caberia apenas esperar pelo resultado. Passei um final de semana incrivel, e na segunda foi um dia maravilhoso. (merecem um post....foi o máximo mesmo!) Eis que na segunda, volto para casa as 17:40 e PA, um envelope do laboratorio.]Respirei bem fundo, e abri o envelope. O que era, ou não era, estaria ali. Fui direto para a conclusao... CARCINOMA PAPILIFERO CATEGORIA VI BETHSEDA what the fuck queria dizer aquelas palavras> Mandei uma foto com o resultado para a minha amiga... e outra para a dra. Basicamente, eu estava com câncer de tireoide. O nódulo tinha uma analise maligna, sendo que era o mais bonzinho dos malignos. Dra me passou o contato de um medico, o qual marquei na quinta as 12:00. Liguei para uma outra amiga que ja tirou a tireoide e me indicou outro medico, quarta as 17:00. Na segunda, quando fui dormir, estava assustada. Algumas células minhas estavam me matando, e não havia nada que eu pudesse fazer. Ate a consulta, a sensacao era que eu morreria um pouquinho. Sensação horrível. Preferi não pensar muito nisso. A lojinha de laços bombando no ig, fiz minhas encomendas, um bolo, biscoitos e paes. Cozinhar sempre me faz bem. O tempo passou rápido. Fui nesse medico de quarta (hoje). Ate a consulta eu estava forte e equilibrada. Sai assustada e com medo. Sai do consultorio e tinhamos que esperar o carro voltar. Olhei para a Avenida Sena Madureira e me deu vontade de ir embora por ela... sair correndo..... deixar o ma, o medico, o carro.... toda aquela realidade. Fiquei parada, olhando, quando o ma me sentenciou: Thais, senta. Obedeci. Me senti aprisionada. Aprisionada a minha realidade. Não, não poderia fugir. O carro chegou, viemos para casa, e minha mae, que estava cuidando da be ficou para jantar. Minha irma veio. Ela não parava de falar. Foram embora agora pouco. Não consegui ainda organizar meus pensamentos. Parece que eu engoli uma vespa, zunindo na minha cabeça. Ele explicou como sera cirurgia, na próxima quinta ou na outra. Não e interessante demorar, uma vez diagnosticado do CANCER, o ideal e agir o quanto antes. Foi a primeira vez que percebi que aquela palavra, aquela doença... agora era destinada a mim. Ele falou algumas vezes... câncer de tireoide..... mais fácil engolir um cacto que ouvir isso. Mas depois falou de estatísticas altas e controladoras. 99% de cura. Falou também que o tratamento seria a remoção total da tireoide, e depois ele iria avaliar o caso. Na própria cirurgia ele faria a analise, para ver a extensão do câncer, que ele acreditava estar apenas na tireoide. No caso de não estar, eu então faria um tratamento com iodo. Voce tem filhos> Sim, uma de um ano e meio. Hummmmm, talvez a gente não deva fazer o tto, talvez vc queira mais filhos.... nessa hora eu marejei os olhos e disse: doutor, eu quero viver para a minha filha. Farei o que for necessário para me curar e ve-la crescer, ainda que para isso eu não tenha mais filhos depois. Exato. Depois. Depois vemos isso. Me pediu pouquissimos exames, me encaminhou para o financeiro $$$$$ e ja levamos as papeladas para previa de reembolso, pedido de internação e demais burocratices. Liguei para meu otorrino, que eh meu medico de confiança. Disse o que tinha acontecido e disse o nome do medico. Você esta nas maos do bambambam, não poderia estar em melhores maos. Me tranquilizou. Opero num dia, saio no outro, cinco dias de repouso, sem pegar a be no colo, por causa da forca. Uma cicatriz de 6cm no pescoco, que com o tempo será imperceptível. Passarei a vida com medicamentos, que irão regular os hormônios que a tireoide não ira mais produzir. Um susto. E enquanto escrevo apavorada, fico maravilhada. Nao fosse essa amiga investigar, eu não saberia... Nao fosse o blog e esse ativismo, não seriamos amigas... Nao tivesse eu insistido na consulta com a dra, outro medico não teria investigado. D-us esta comigo. Ao meu lado, segurando a minha mao. Mas tem momentos que nem o colo de D-us nos consolam. Estou com medo. Estou assustada. Sei que isso vai passar. Mas nesse momento.... da difícil administrar.

sexta-feira, 22 de maio de 2015

1o encontro!!

Meninas Vamos nos encontrar?? Dia 30/5, as 10:00. Vou marcar num lugar pertinho do metro, assim fica facil p todas. Me manda comentario c whats ou email q passo o local!! Bjs

Assaduras

Meninas, No post anterior comentei que a be estava tomando antibióticos, né? Então... Tem uma coisa que o FOP do medico não fala quando manda antibiótico, mas vc descobre quando conversa com ouras mães... Alguns antibióticos dão assaduras. Assaduras horríveis! Os primeiros dez dias que ela tomou de amoxil não causaram nada além de uma diarréia estranhíssima. Coco verde, tipo o do hulk. Mas passou. E ela melhorou. Aproveitei para dar goiaba, que prende o intestino, e tudo voltou ao normal. A segunda paulada de antibióticos foi beeeeem diferente. Ela está tomando há dez dias, mas seguirá por quatorze, clavulim. No quarto dia ela fez um coco e plimmmmm, assou. Como mágica, instantaneamente. Assou côo nunca tinha assado. Lavei (semmmmmpre, desde Rn, lavo com água e sabão na pia!) e ela reclamou de dor. Nunca tinha acontecido isso... Ardeu. A água estava ardendo. Uso a densitin azul, passei a usar a densitin roxa. No dia seguinte estava pior. Na terca, quando a busquei no colégio, ela estava, com todas as letras, ASSADA. Tirei a fralda e coloquei um casaco bem quentinho. E ela passou a tarde toda de casaco, tênis e bumbum de fora. Salpiquei maizena e tive que secar uns dois xixis no chão da casa. Aliviou bem. Conversei com duas amigas e cada uma me indicou uma pomada. Na dúvida, comprei as duas. A cetrilan, dizia na embalagem que era uma pomada preventiva. E a nistadina+óxido de zinco (ela me indicou a genérica da EMS) dizia que era tratamento. Comecei pela nistadina e em dois dias melhorou 90%. Ainda não está bom e ela ainda tem quatro longos dias de medicação pela frente, o que certamente ainda vai dar trabalho. Ao menos uma hora por dia deixo a be sem fralda. Lavo (só com água, estou usando menos sabão), seco com fraldilha de pano bem fininha, polvilho de maizena e deixo ela peladinha. Tão linda!!!! Ta ajudando bastante, Nas trocas, deixo meio tubo de pomada e ponho a fralda. Ainda tem um pedacinho pequeno que a pele está bem irritada. Quando curar por completo, vou passar para a cetrilan. Bem, essa foi minha estréia no mundo das assaduras. Posso dizer que da muitaaaa do! Se alguém estiver nesse barco, sugiro essa pomada genérica..... Foi top aqui.

Uniforme e a culpa

Esses dias vem sendo atrapalhados demais. Comentei sobre o resfriado da be ne? Ela começou com nariz escorrendo, depois ficou com tosse. Fui no pediatra, depois levei n otorrino. Ele deu antibiótico e ela melhorou. Cinco dias depois piorou, deu inflamação no ouvido. O canal de bebes e curto, e o catarro desceu pelo canal errado. Ele mandou mais dez dias de antibiótico (já tinha tomado dez!) e ontem, quando deu nove dias, fomos nos duas ao otorrino de novo. Eu resfriada e ela aparentemente bem. Cinco dias de remédio para a mamãe e mais cinco para ela. Serão quatorze dias de antibiótico pela frente. Morri de do, mas o tempo que está em São Paulo está impossível. Some a isso a escolinha, e poxa..... Fica mais mesmo. O tempo esta seco, poluído e frio. Nos dias nublados, varia entre 14-16 graus, e nos dias de sol 20-22. Para a Blume esta ótimo, mas para gente, acostumada com o calor.... Ta frio e ficamos doentes mesmo. Ao todo, são oito semanas que estamos doentes. Estamos porque eu pego dela, ela pega de mim, e já são oito semanas de caixa de lenço, spray para a garganta para dormir, e notes interrompidas por tosse. Tudo isso baqueia... Hoje, chego na escolinha e ela era a única de uniforme. Todos de roupa normal.... Mandaram um email, que opor algum motivo qualquer, fio para minha caixa de spam. Aí aí.... La fui eu, voltei para casa para buscar uma roupinha para ela. Tinha marcado de encontrar com a Elaine no shopping, e já saí de uma vez de casa. Paciência... Alguns me diriam para deixá-la sem uniforme, mas isso me incomodou muito. Ela seria a única diferente. Muitas vezes somos os únicos diferentes, mas ideamos bem com isso. Fazendo uma análise mais profunda, me questiono a raiz da situação. Tudo o que passamos pode ser tratado de modo superficial, mas desde que me tornei mãe me questiono muito sobre a raiz das coisas, vou a fundo e sempre analiso com mais cuidado as situações. Li uma análise dia desses sobre o "se enquadrar" na infância, e como já disse, a maternidade me deixou em carne viva. Tudo passou a ter um motivo e uma razão. Faço as coisas e depois fico analisando. Para mim o motivo foi simples: beatriz tinha condições de estar como os demais; eu tinha condições de buscar e levar o uniforme, já que teria de qualquer forma que voltar para casa e depois sairia; eles iriam tirar fotos, e não quis que ela fosse a única a estar de uniforme nesse dia de festinha da escola. Mas acho que toda a situação sempre merece uma análise mais profunda. Por muitas vezes Beatriz será a diferente e ela deve aprender a dar com a situação. Muitas vezes, essa diferença será gritante, em ousar será discreta, mas ela sempre irá surgir em algum momento. Todas as crianças tem um irmão, menos eu. Ok, eu farei o que?????? E assim com tantas outras coisas que nem sempre poderei suprir. Ela ainda é pequena. Certamente não notou a diferença. Mas para mim rolou uma certa culpa. Sempre soube que não era a mãe perfeita. Já perdi N vezes a paciência com ela. Não tive leite. E muitas outras coisas que me fazem perder o diploma de "mãe perfeita", mas acho estranha essa culpa, essa névoa que ecrã as mães de hoje. Sim, me senti culpada. Como não vi o email????? Dentro da sala de aula chequei o email e estava ela la..... Desde a semana passada, estatelado na minha caixa de menagens. Além da roupa, eles também avisaram que não teria aula na segunda-feira próxima e que até ontem era para ter levado um monte de ouras coisas. O-oh.... Já tive algumas situações que me atestaram de mãe imperfeita, mas poucas eu pude mudar a situação. Hummm, mas mudá-la não me tornou perfeita. Situação estranha... Será que eu estava mesmo preocupada com o bem estar da be? Ou será que fiz isso para garantir meu diploma de mãe perfeita???. Mil coisas na cabeça. Dilemas da maternidade... A maternidade nos muda demais. Tira nossa carne, nossa pele, coloca um coração quente, batendo forte no peito, e garras e dentes afiados para proteger a cria. E de repente, vc percebe que talvez está naquele joguinho de culpa e competição que permeiam as mães. Ainda não sei analisar.

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Tecnologia

Meninas, hj quero falar sobre um assunto bem polemico: tecnologia. Quando contratei a baba, a Be ainda era um bebe. Ela foi crescendo, e conforme foi crescendo as dificuldades começaram a crescer também. Ao mesmo tempo que uma criança passa interagir mais, ela também passa a exigir mais de vc. Um bebe recém nascido exige cuidados, mas uma criança de um ano exige atenção. Experimenta mexer no celular ou no computador com a Beatriz ao lado!!! Nos primeiros quinze segundos ela vai continuar brincando com as panelinhas dela, mas depois ela vai querer fazer o mesmo barulho nas teclas, vai querer mexer, porque afinal, ela quer fazer tudo o que fazemos. E curiosa, quer conhecer o que conhecemos... Tudo e novidade: ela acha engracadissimo apertar uma tecla e sair uma letra no visor. Tudo e novo, e legal, e fantástico. Mas e exaustivo! Ela requer atenção, mas as vezes dar toda a atenção que ela pede cansa muiiito! E veja: tudo isso dito por alguém que sempre sonhou em ter um filho. quando ela dorme, raramente eu descanso. Dia desses, enquanto ela dormia, arrumei as gavetas dela, fiz inalação nela, e cortei as unhas do pe e da mao. Quando eu peguei meu celular e me deitei também.... ploft, acordou. E isso cansa. E não ha mal nenhum colocar uma galinha no ipad ou no celular para ela me dar 10, 15 minutos de silencio... Alias, houve uma época em que eu conseguia cortar as unhas do pe e da mao dela em duas musicas da galinha! Hoje, so dormindo! Uma galinha para poder fazer o jantar... Uma galinha para poder almoçar com calma... E de repente, a galinha passa a fazer parte da nossa rotina. E chega a Peppa pig, e o mickey, e o patati patata. E tudo muito rápido. E muito cômodo. Nos traz paz, e nossos filhos ficam calmos, felizes, sem chorar. Mas e o caminho mais curto. E caminhos curtos nem sempre são as melhores escolhas. Desde que a be era bebe, evitei a exposicao em tv, ipad e celulares. Cheguei a ser xiita uma época. Mas eu tinha um recurso chamado baba. Ela era paga para distrair, passear, bater palma, o que fosse, mas era instruída a não colocar a galinha. (convenhamos: pagava bem caro para ela ficar vendo tv com minha filha) Talvez se eu não tivesse tido a ajuda da baba, eu tivesse me rendido aos encantos da penosa. Quando a baba foi embora, tive uma fase galinha. Cheguei a fazer um backup do meu ipad, que passou a ter uma capinha antichoque. Todos os finais de semana éramos nos quatro: eu, marido, a be e a galinha. Em algum momento, percebi que ela estava viciada. Via a capinha e falava: cocò, cocò. Em comparação com os filhos dos amigos mais proximos, ela nunca foi viciada, mas as mães não tiveram baba. A questão e que num aniversario qualquer, estávamos num buffet cheio de brinquedos bacanas. Tinha piscina de bolinhas, roda gigante , xícaras de rodar... tudo próprio para um ano! E uma televisão. E ficamos preocupados quando notamos que beatriz corria alegre entre um brinquedo e outro enquanto o filho de uma amiga estava parado, hipnotizado, assistindo a peppa pig. Na ocasião, li um texto sobre a relação de crianças muito expostas a ter distúrbios como deficit de atenção e ansiedade. De alguma forma, isso faz sentido. Na minha epoca, foi crescente a exposição das crianças as tvs. Embora em casa houvesse hora especifica para ver tv, e um quarto onde ficava a tv (nao tinhamos tv no quarto e nem almoçávamos com tv), na casa dos amiguinhos todos viam tv no quarto e almoçavam com a tv ligada. E vejamos: começou a se falar de DDA da minha geração para frente, e a passos gigantescos. Hoje, DDA e quase uma epidemia, onde se tratam crianças com especie de calmante. OI! Nao preciso nem dizer que a Be passou a assistir a galinha aos finais de semana... e tempo limitado. Troquei o ipad do restaurante por uma panelinha e um cupcake de plástico. E um livro, ou outro brinquedo qualquer. E quando queremos comer com calma e em paz, rezamos para que ela durma. Nem sempre da certo... Mas dai abraçamos o caos e somos felizes no caos. Mas me questiono seriamente sobre o destino dessas crianças que estão sendo domesticadas com tanta tecnologia. Recebi da querida Mari SSA esses links, que gostaria de compartilhar e deixar uma duvida com vcs. Nem todas tem com quem deixar o bebe. Nem todas tem quem ajude com a casa, com a cozinha. Cada uma tem a sua realidade, e devemos nos adequar as nossas realidades. Mas todas sonhamos muito para nossos filhos, e queremos o bem deles. Fica a informação... http://www1.folha.uol.com.br/educacao/2014/09/1515815-crianca-deve-evitar-eletronicos-ate-12-anos-de-idade-afirma-educador.shtml XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX Steve Jobs não deixava os filhos mexerem em iPads e iPhones23 The New York Times Assim como outros executivos do ramo da tecnologia, Steve Jobs limitava ao máximo o tempo que seus filhos podiam mexer em iPads e iPhones Assim como outros executivos do ramo da tecnologia, Steve Jobs limitava ao máximo o tempo que seus filhos podiam mexer em iPads e iPhones Quando Steve Jobs dirigia a Apple ele era conhecido por ligar para jornalistas para lhes dar um tapinha nas costas por um artigo recente ou, com maior frequência, para explicar como entenderam errado. Eu estive do outro lado da linha em uma dessas ligações. Mas nada me chocou mais do que algo que Jobs me disse no final de 2010, após acabar comigo por algo que escrevi sobre uma falha do iPad. "Então, seus filhos devem adorar o iPad?" eu perguntei a Jobs, tentando mudar de assunto. O primeiro tablet da empresa tinha acabado de chegar às lojas. "Eles não o usaram", ele me disse. "Nós limitamos quanta tecnologia nossos filhos usam em casa." Eu estou certo que respondi com um silêncio estupefato. Eu imaginava o lar de Jobs como sendo um paraíso dos nerds: que as paredes eram telas de toque gigantes, a mesa de jantar era feita de iPads e que iPods eram dados aos convidados como chocolates em um travesseiro. Não, disse-me Jobs, longe disso. Desde então eu conheci vários executivos-chefe e capitalistas de risco que dizem coisas semelhantes: eles limitam rigidamente o tempo de seus filhos diante de telas, frequentemente proibindo todo tipo de aparelhos em noites de dias de aula e alocando limites de tempo rígidos nos fins de semana. Eu fiquei perplexo por esse estilo de criação. Afinal, a maioria dos pais parece adotar a abordagem oposta, permitindo que seus filhos se banhem no brilho de tablets, smartphones e computadores, dia e noite. Mas esses executivos-chefe de tecnologia parecem saber algo que o restante de nós não sabe. "Meus filhos acusam minha esposa e eu de sermos fascistas e exageradamente preocupados com tecnologia, e dizem que nenhum de seus amigos enfrentam as mesmas regras", ele disse sobre seus cinco filhos, com idades entre 6 e 17. "Isso se deve por termos vistos os riscos da tecnologia pessoalmente. Eu já vi, e não quero que isso aconteça com meus filhos." Os riscos a que ele se refere incluem exposição a conteúdo prejudicial, como pornografia, bullying de outras crianças, e talvez o pior de tudo, se tornar viciado em seus aparelhos, como seus pais. Alex Constantinople, o executivo-chefe da OutCast Agency, uma empresa de comunicações e marketing focada em tecnologia, disse que seu filho mais novo, que tem 5 anos, não é autorizado a usar aparelhos no fim de semana, e seus filhos mais velhos, de 10 a 13 anos, só podem usar 30 minutos por dia nas noites de dias de aula. Evan Williams, um fundador do Blooger, Twitter e Medium, e sua esposa, Sara Williams, disseram que em vez de iPads seus dois filhos pequenos têm centenas de livros (sim, físicos) que podem pegar e ler a qualquer hora. E como as mães e pais tecnológicos determinam os limites apropriados para seus filhos? Em geral, de acordo com a idade. As crianças com menos de 10 anos parecem mais suscetíveis a ficarem viciadas, de modo que esses pais decidem não permitir acesso a quaisquer aparelhos durante a semana. Nos fins de semana, há limites de 30 minutos a duas horas de uso do iPad e smartphone. E entre os 10 e 14 anos é permitido o uso do computador nas noites de dias de aula, mas apenas para lição de casa. "Nós temos uma limitação rígida de acesso às telinhas para nossos filhos", disse Lesley Gold, fundador e presidente-executivo do SutherlandGold Group, uma empresa de relações entre mídia e tecnologia e análise. "Mas é preciso relaxar à medida que ficam mais velhos e precisam do computador para a escola." Alguns pais também proíbem adolescentes de usarem as redes sociais, exceto para serviços como o Snapchat, que apaga as mensagens após serem enviadas. Assim, eles não precisam se preocupar com ter dito algo online que venha a assombrá-los no futuro, me disse um executivo. Apesar de alguns pais não ligados em tecnologia que conheço darem smartphones para crianças de apenas 8 anos, muitos dos que trabalham em tecnologia esperam até seus filhos terem 14. Apesar desses adolescentes poderem fazer chamadas e enviar mensagens de texto, eles não recebem um plano de dados até os 16 anos. Mas há uma regra que é universal entre os pais tecnológicos que entrevistei. "Essa é a regra número 1: nada de telas no quarto. Ponto. Nunca", disse Anderson. Apesar de alguns pais tecnológicos estabeleceram limites baseados em tempo, outros são mais rígidos sobre o que seus filhos podem fazer com seus aparelhos. Eu nunca perguntei a Jobs o que seus filhos faziam em vez de usarem os aparelhos que ele produzia, de modo que perguntei a Walter Isaacson, o autor de "Steve Jobs", que passou muito tempo na casa dele. "Toda noite, Steve fazia questão de jantar na grande mesa longa na cozinha deles, discutindo livros e história e uma variedade de coisas", ele disse. "Ninguém nunca pegava um iPad ou computador. As crianças não pareciam nem um pouco viciadas nesses aparelhos." XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX Exame, 23/nov/14 Televisão Ver TV demais quando é pequena pode fazer com que uma criança fique mais preguiçosa quando tiver quatro anos. A constatação é de Linda Pagani, pesquisadora da universidade canadense de Montreal. Num experimento, ela perguntou aos pais de 1,3 mil crianças de dois anos e meio quanto tempo os pequenos passavam em frente à televisão. Quando as crianças estavam com quatro anos, Linda repetiu essa e fez outras perguntas. No fim, ela constatou que aqueles que viam mais TV quando menores faziam menos exercícios físicos, comiam mal e se saíam pior nas aulas de matemática do que os que não passavam tanto tempo em frente à televisão. Comida Cientistas da universidade da Califórnia realizaram um experimento com 32 ratinhos. Metade deles foi submetida a uma dieta com comida industrialmente processada e a outra metade, a uma alimentação mais saudável. Em testes com os roedores, os pesquisadores verificaram que aqueles que se alimentavam mal tinham desempenho pior numa tarefa em que obtinham água e comida após pressionarem um botão. Para os cientistas, isso é um sinal de que a má alimentação torna o corpo preguiçoso e não o inverso. Segundo eles, a tese também vale para humanos. XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX Escritor e professor da USP fala sobre os impactos dos meios eletrônicos nas crianças As crianças pequenas devem ter acesso aos meios eletrônicos? Quais os riscos da exposição precoce aos computadores, à Internet, à TV e afins? E na adolescência, a livre exposição pode representar riscos? Essa discussão, que divide estudiosos da educação na era dos smart phones e da internet móvel, é o tema da palestra gratuita que o escritor e professor titular do Departamento de Ciência da Computação da USP, Valdemar Setzer , profere no Instituto Ouro Verde (INOV). Setzer é autor de 12 livros técnicos e educacionais publicados no Brasil e no exterior, incluindo a obra “Meios Eletrônicos e a Educação: uma visão alternativa”, com a 3ª. edição esgotada, mas todos os capítulos estão disponíveis no site do escritor. O professor defende o modelo de ensino preconizado pela pedagogia Waldorf, que sugere que os meios eletrônicos sejam evitados no processo de aprendizagem das crianças e apresentados o mais tarde possível. Setzer afirma que a infância é o momento de brincar livremente, de desenvolver a criatividade e que só assim se formam adultos criativos. “Os meios eletrônicos aceleram o desenvolvimento intelectual e emotivo das crianças, podem provocar doenças como stress, obesidade e seus desdobramentos, além do risco de criar dependência e de elas acessarem conteúdos inapropriados”, destaca. O acesso das crianças aos meios eletrônicos tem sido cada vez mais discutido no mundo todo. No Vale do Silício, na Califórnia (EUA), por exemplo, não são raros os executivos de empresas de alta tecnologia que optaram pelo modelo Waldorf de ensino pelo fato dessas escolas não usarem meios eletrônicos, especialmente computadores, como mostrou uma reportagem do jornal New York Times reproduzida pela Folha de S. Paulo.

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Dor de cotovelo

meninas!!!! estou no meu novo possante!!!!!!Uhuuuuuuu Ok que estou me adaptando ao teclado e tudo mais, mas nossa, quase dois meses sem um computador! Nem acredito!!!! ... Quero falar sobre ontem. Ontem foi um dia anormal, e antes de mais nada devo muito, muito, muuuito, a Mariane, a que sempre assina Mari SSA. Sem ela não teria resolvido tudo com tanta calma! Essa semana o marido estava viajando, e Beatriz foi sentindo falta, falta, e as noites foram se complicando. Estávamos num ponto onde ja tinha colocado um colchão no chão, no quarto, e nem dormindo ao lado dela resolvia. Beatriz estava com saudades do pai. Tudo estava maia delicado e complicado. Ela acordou, e seguimos o dia normalmente. Deixei-a na escola e estava na aula de ginastica quando recebo uma ligação da escola, a diretora falando comigo: -Thais, na hora de lavar as maos Beatriz machucou o pulso, e esta chorando muito. Nada a acalma. Por favor, venha aqui. Larguei tudo, e fui direto para a escola. Liguei para o pediatra, que me instruiu leva-la ao pronto socorro para tirar um raio-x. Tinha marcado de me encontrar com Mariane, que estava em sp para consulta com a dra, e achei melhor avisa-la da situação, ja que possivelmente ocorreriam mudanças de planos. Ela então me responde: -Thais, mantenha a calma, Beatriz precisa de voce. Eis que me dou conta: marido viajando, era eu comigo mesma. Eu teria que amparar a ela e a mim. Não era hora de chorar junto, e sim de dar apoio e ser forte. Cheguei na escola, e encontro as duas professoras e a diretora transtornadas, com Beatriz no colo. Ela estava chorando, com cara de dor e com os olhos do gatinho do Shrek. Bracinho encolhido, uma professora segurando o pulso dela. Qualquer movimento ela voltava a chorar. Acalmei as professoras, dizendo que ela estava mais fragilizada por conta da ausencia do pai, mas me dei conta que ela estava era morrendo de dor. Irei leva-la ao hospital, disse. A diretora disponibilizou uma professora para me acompanhar, e ate deu a ideia de alguém dirigir para mim. ¨Linda, eu estou otima. Foi Beatriz quem machucou o pulso. Ademais, temos todas que estar tranquilas para passar segurança para ela.¨ Todas olharam para mim, admiradas. Sim, sábios conselhos de Mari fizeram toda a diferença, porque fazer as coisas com calma e sem desespero e outra coisa! Com a cia da professora da Be, fomos ao pronto socorro. Chegando la, tinham 20 pessoas na nossa frente, a maioria com aqueles vírus ninja da gripe. Quando encontramos um lugar para a professora sentar {ela estava com a be no colo}, discretamente fui ate a recepção e falei assim: estou com uma bebe com o pulso quebrado. E essa senha mesmo> Fomos atendidos de imediato, e logo nos encaminharam para um ortopedista. -O que aconteceu, perguntou o medico. E a professora contou exatamente a mesma historia. Que estavam arrumando as crianças para o lanche, e na hora de lavar as maos, a auxiliar foi recolher a jaqueta e deve ter puxado o pulso. O medido começou a examinar, e disse que iria tirar o outro casaco dela, e assim que foi tirando disse: não e o pulso, era o cotovelo. - Tem uma brinquedoteca na entrada. Por favor, voltem para la e estimulem ela a brincar com o braço machucado, voltem em 5 minutos. Oi> Eu nao saio daqui sem um raio x, pensei. Saimos da sala e a be parou de chorar. Chegamos na brinquedoteca e ela como magica, voltou a brincar, esticando o bracinho normalmente. 5 minutos depois, o medico nos chamou novamente. Ela tinha tirado o osso do braço do lugar, na altura do cotovelo, e ele tinha colocado o osso. ´pronacao dolorosa do cotovelo esquerdo´ foi o que ela teve. A noite, quando tudo ja tinha se resolvido e estava em casa sozinha, me questionei como abordar a escola. Minha irma sugeriu solicitar a filmagem, ja que tudo indicava que eles tinham tido falta de delicadeza, para não dizer maus tratos. Eu estava perdida. Não queria perder a confiança na escola, mas estava claro que eles tinham sido brutos com minha filha. Como se desloca assim um osso> Antes de pensar no que falar, resolvi ligar para o pediatra dela. Ele e uma pessoa a qual confio muito. Ele me disse que era normal, que 40 porcento das crianças tem esse quadro ao menos uma vez, e que possivelmente ocorrera novamente. Ate os 3 anos da Be, ela tera essa articulação mais frágil que o normal, e assim o osso saira do lugar no mínimo esforco. ´pode ser com vc, com o pai ou com a avo`, de forma alguma caracterizada maus tratos ou sequer falta de delicadeza. Era um quadro super comum. E que o tempo iria corrigir. Desliguei aliviada... E hoje levei-a para a escola, feliz, com o cotovelo no lugar. =)

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Maternar

Estourei uma pipoca, sentei na cama e be esta dormindo.
Finalmente vou poder escrever sobre uma coisa que venho amadurecendo... Maternar.
Eu vivo intensamente a maternidade, de uma forma que não sei mais viver sem antes ser mãe. Mas eu vivi, e uma vida muito bem vivida! Estudei, me formei, viajei. Nossa, viajei muito! Quando solteira, rodava micaretas atrás do bel e Durval, ia nas melhores e mais loucas baladas. Rave, balada, restaurantes, baixinhos, churras poças, feijoadas com pagode.... Inimigos da hp, batom na cueca... Skazi, infected mushrooms...e rodeios? Noooossa, como me diverti!
Muitas amigas, amigos, risadas.
Casei e fizemos muita coisa legal.
Eu sonhava em ser mãe, mas eu vivi muito antes disso. Mas depois que eu me tornei mãe, algo mudou.
Eu mudei.
Me transformei.
Sinto como se a maternidade tivesse me colocado um coração no peito, e arrancado a minha pele. Me sinto em carne viva. Sinto as dores do mundo. Sinto as dores da mãe, sinto as dores do filho. Choro com facilidade. Vou em profundidades que eu desconhecia.
As pequenas coisas passaram a representar as grandes. Tudo para mim passou a ser envolto de verdades e valores, ocultos, escondidos, mas impressos em cada acontecimento do cotidiano.
Conhecem a história do pedrinho?
(Se não, sugiro www.amigosdopedrinho.com.br)
O pedrinho e um bebe que nasceu na pro matre com um defeitinho no intestino e precisava de uma cirurgia nos EUA. Os pais fizeram o que podiam, mas ele teria que ir para la. Angariaram fundos, e foram, fizeram a tal cirurgia.
Quantos mil padrinhos no pais, e que não tem a "sorte" de conseguirem a cirurgia, certo? Essa era a Thais. Fatalidades. Acontece. Estatísticas. Poxa, que pena.
Mas eu me tornei mãe.
E um dia, acompanhando o status do Pedrinho, descobri que ele e mais velho que a be. E ele gosta de brinquedos que fazem barulho....
Beatriz gosta de correr, andar, gritar, dançar. Vento no rosto.
Adora bolo, banana, água de coco.
Pedrinho nunca saiu do hospital.
Beatriz já viveu. O pedrinho não... Ele luta para viver.
E essa mãe?
Teria eu, estrutura para tanto?
Chorei. Chorei muito. Chorei pela Duda, que faleceu de câncer aos 5 anos. Chorei quando o pedrinho quase teve extraído seu tão sonhado intestino por causa de uma infecção. Chorei quando a Sofia fez coco pela primeira vez, depois de um transplante multivisceral.
Assim que beatriz nasceu, ela fez coco. E isso não tem valor nenhum.
Passou a ter.
O sonho dos pais do pedrinho é que um dia ele se alimente e faça coco, de forma natural. Qual o valor de um coco? Para os pais do pedrinho e da Sofia.... É imenso.
Passei a sentir as dores do mundo depois que pari.
Passei a sentir os valores das coisas, as mensagens que passamos.
Passei a dizer BOM DIA com clareza. Antes, apenas um sorriso eu achava que bastava. Como vou ensinar minha filha a cumprimentar se eu própria não o faço corretamente?
Me tornei uma pessoa melhor.
A cada dia, para a Be.
Para dar o exemplo para ela.
Isso é maternar. Isso que é a maternidade.
Mãe integral, de corpo, de alma, mãe por inteiro.

domingo, 10 de maio de 2015

Atualizando.....

Bem meninas,
Então passamos o dia das mães. Affe, maio!
Cincos meses já passaram, estamos quase no meio do ano. E vcs sabem, quando chega o meio, pá, o ano acaba!
\o/
Bem, vou antes de mais nada falar da lojiiiinha!

A loja que montei é uma lojinha de lacinhos. Meu carro chefe é o laço que ensinei para vcs, e não vou apagar aquele post, porque realmente acredito que o conhecimento deve ser compartilhado. Por favor, me add e me ajudem a divulgar , a loja se chamar lindo.laco no instagram. Tem pouquíssimas publicações, e pouquíssimos seguidores, mas estou no começo e espero uma forcinha de vcs!
Me add
Me add
Me add
Kkkkkkkkkkkkk
Bem, e oooobvio que a nossa modelo oficial é ninguém mais ninguém menos que a bê!

Vcs devem estar achando que estou sumidaça por conta dos lacinhos, mas é apenas em parte. Meu computador, com menos de dois anos, pifou. Morte morrida, o bicho apagou, não acendia nem uma luzinha. Fiquei apavorada e levei na assistência, o que foi uma novela (não recomendo a PLL moema nem a pauuuu). Demorou horrores para meu computador ficar pronto! passei os dados do finado para um que estava encostado aqui. Esse encostado era o antigo do marido, e estava em perfeito funcionamento.
Acreditam que esse TAMBÉM pifou?
Ontem, quando beatriz dormia, resolvi organizar o computador. Um técnico veio em casa e passou todo o backup para um HD externo, mas tinha que mexer e organizar, sabe? E baixar as 2468864 fotos do celular, e quando eu liguei.... Ploft!
Vou amanhã levar o como para esse técnico, não volto mais naquela PLL nem a pau. Dai to sem computador há quase dois meses! No começo sentia muitaaaaaaaa falta! Quase rola uma rehab, mas agora estou curada! Sinto muitaaa falta de postar, mas dai vou me adaptar ao iPad. Veja: poderia ter colocado a foto linda do dia das mães da lojiiiinha lindo.laco, mas para por fotos pelo iPad.... Não consigo!
Então vamos tocando assim......
Vou tentar atualizar vcs.
Beatriz esta... Um espetáculo!
Ela andou mega gripada! Foi tenso. Primeiro ela resfriou. Nariz escorrendo, depois apareceu uma meleca verde (de manhã era absurdo!), e na segunda semana começou uma tosse na hora de dormir. Muitas noites acordava com aquela tosse de cachorro, eu ia até o berco, sentava ela, depois a acalmava, e a deitada mais inclinada para dormir. Na terceira semana fui ao pediatra que disse não ser nada, e no final da quarta semana agendei meu otorrino o para nós duas. A essa altura, eu tbm estava com a tosse, já tinha me automedicado e nada funcionava. Por. Nota dos feriados, ele pode nos atender quando completávamos seis semanas desse jeito, e estávamos, as duas, com sinusite. Beatriz tomou seu primeiro antibiótico.
Mãe e filha, dez dias de antibiótico e antiinflamatório. Melhorei em dois dias, Beatriz parou de tossir no terceiro. A meleca sumiu no quarto dia.
Nesse período, esfriou bastante aqui em sp, e começou a temporada de ficar doente, o tão temido outono. Notei que por mais que todos tenham cuidado, as crianças estavam também com nariz escorrendo.... Era geral. Nessas seis semanas, fiz várias tentativas. Beatriz faltou vários dias. Fui para o interior, troquei de ares, mas realmente foi necessário entrar com a medicação.
Na hora eu até pensei em negociar com o otorrino, mas dai eu disse: doutor, te conheço há dez anos. Vc me operou (tirei as amígdalas depois de velha) e confio em vc. Precisa MESMOOO dar antibiótico par ela!? Ele disse que sim, e realmente, precisava. Melhor tomar o remédio do que ficar ainda mais tempo doente! Já não dava mais!
Por fim, ela melhorou.
E esta dormindo super bem a noite. Tipo, se melhorar, estraga! Quem diria né?
Ela da uns gritinhos no meio da noite, mas isso é por conta dos dentes, que estão nascendo. Ela tem quatro em cima e quatro embaixo, e os molares estão nascendo. Nessa noite um canino de baixo apontou também. Mas da os gritinhos e volta a dormir sozinha, no quarto dela.
A rotina continua a mesma: banho as 19:30, berco 20:00. Segue bem até 6:30, mas nesse friozinho andou acordando mais tarde. São exceções, mas hj ela dormiu até as 9:00!!!!!!!!!!! As 6:30 acordou, eu ofereci uma mamadeira e ela esticou.
Durante a semana, ela está acordando entre 6:30-7:00. Vamos para a escola, e ela adora. 3x na semana ela almoça lá, e tira uma soneca de uma hora. Acorda, toma lanchinho e brinca até as 16:00, quando busco. Notei que nós dois outros dias ela fica exausta, então vou deixá-la apenas 2x na semana.  Acho importante que ela tenha tempo livre, ocioso, que fique em casa comigo. Tenho um pouco de medo da super estimulação...
Desencantei da aula de natação. Vai fazer nada disso. Vai ser criança, vai brincar, mas comer areia, lamber chão. Tem a vida toda para aprender a nadar, e a infância é tão curta.
Parou de comer papinha neste e qualquer alimento pastosos, gosta mesmo de comida. Comemos juntas no almoço, o que almoçamos em casa.
Começo por uma salada fria (ela come sem tempero, e dispensa folhas). Tomate, milho, couve flor, brócolis, cenoura.
Depois monto o pratinho: arroz, feijão, bife e um legume. Sempre começo pelo legume e bife, ela nunca nega o arroz e feijão.
E termino com uma fruta. Ela AMA caqui, uva, morango e banana. Esta no momento tendo um caso de amor com a Va. (Uva) aliás, ela está falando tudo. Repete que nem uma matraca! Entende absolutamente tudo o que falamos, e responde direitinho. Não fala palavras erradas, fala direitinho. A única palavra que ela fala trocado é pelelo (cabelo), embora o pelo da cachorra ela fale cabelo. O vocabulário esta cada dia mais extenso.
Bolo, bola, banana, biscoito, meia, sapato, laço, dente, boca, olho, nariz, barriga, pé, mão, cabeça, carro, banho, água, fome, mais, piupiu, Auau, miau, muuu, cocó, nana são algumas das palavras que ela já domina e fala direitinho.
Quando estamos com pessoas novas ela estranha e se retrai, então as vezes passo de mentirosa.
Ela é alegre, gosta de cantar e dançar e é bem sociável. No entanto, está entrando numa fase complicada de birra. Sabe o que quer e não se dobra. Compra briga com muita facilidade...
Então se digo: vamos tomar banho? E ela não quer, grita, esperneia, se joga no chão para tomar banho. Da mesma forma, se digo: vamos sair do banho, ela pode, no mesmo dia, dar o mesmo escândalo para entrar e sair do banho. Tem horas que deito ela no chão (esperneando) e me afasto, deixando-a se acalmar. Faço o possível para não ceder aos escândalos, e tento fazer com que ela consiga lidar com as frustrações. Claro, na medida do possível.
Parece que esse comportamento só vai piorar, e que mal começou..... O terrivel two, como dizem.
Mas ela é muito amorosa e como é bem humorada, logo passa. Está a cada dia mais apegada com minha mãe, que se revelou uma avô babona, com uma neta que amaaaaaaa ela. Para vcs terem uma idéia, houveram casos em que ela não quis sair do colo da vo e vir pro meu!
E minha mãe se infla toda!
Ainda resisto bastante na questão de tv e iPad. Andei lendo sobre a relação de dda/transtornos de ansiedade e hiperestimulo com horas na tv. Com o aumento considerável de casos de pessoas com deficit de atenção, prefiro brincar de cha da tarde do que  deixá-la vendo uma galinha, que ela adora.
Brincamos bastante com livros, brinquedos, panelinhas, pelucias, e dançamos e cantamos muito. Dia desses, era domingo e estávamos dançando todos na sala, para cansar Beatriz para o sono da noite.
Eu, o pai, ela e a cachorrinha.
E tirei uma foto e guardei o momento na memória.
Que momento feliz.
Sim, sou muito feliz. Realizei meu sonho de ser mãe, e o realizo todos os dias quando ouço "mamãe". São momentos como esse que fazem a vida valer a pena. Espero que todas possam ter momentos assim, para guardar na memória.

Boa noite, tenham uma boa semana!



sábado, 9 de maio de 2015

Dia das maes

Meninas,
Amanhã será o dia das mães.
E quero dar meus parabéns para todas voces. A tentante já é mãe sim. Mãe de escolha, de tentativa, de vocação. Mãe de coração. Só nós amamos o filho antes dele ser concebido. Só quem sabe a dor do negativo já sentiu a casa com cheirinho de neném, aquele calorzinho no colo, já estufou a barriga de perfil e ficou olhando, admirada, o ventre "grávido".
Sim, somos todas mães.
Amanhã, estaremos todas felizes porque é o nosso dia!
A Dani, a Ju, Gi, Susana, Chis, Erica, Lay, Bela, Si, Carol, Rose, Blume e eu estaremos com nossos bebes e vamos receber a homenagem.
A Mari, Cleia, Nívea, Renata vão passar com suas barrigas lindas.
Amanda, ci, Elaine, Mariane, cata, juju e tantas outras estarão com suas famílias, e peço que fiquem com o coração calmo. Amanhã será uma data que vai ficar para sempre guardado na memória: será o ULTIMO dia das mães sem os bebes.
Creiam, todas iremos realizar o sonho da maternidade!

Deixo aqui um texto que amei.... Muito eu....

 ""Uma mulher chamada Anne foi renovar a sua carteira de motorista. Pediram-lhe para informar qual era a sua profissão. Ela hesitou, sem saber bem como se classificar.
"O que eu pergunto é se tem um trabalho", insistiu o funcionário.
"Claro que tenho um trabalho", exclamou Anne. "Sou mãe."
"Nós não consideramos 'mãe' um trabalho. Vou colocar Dona de casa", disse o funcionário friamente.
Não voltei a lembrar-me desta história até o dia em que me encontrei em situação idêntica. A pessoa que me atendeu era obviamente uma funcionária de carreira, segura, eficiente, dona de um título sonante.
"Qual é a sua ocupação?" perguntou.
Não sei o que me fez dizer isto; as palavras simplesmente saltaram-me da boca para fora:
"Sou Doutora em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas." A funcionária fez uma pausa, a caneta de tinta permanente a apontar para o ar, e olhou-me como quem diz que não ouviu bem.
Eu repeti pausadamente, enfatizando as palavras mais significativas. Então reparei, maravilhada, como ela ia escrevendo, com tinta preta, no questionário oficial. "Posso perguntar", disse-me ela com novo interesse, "o que faz exatamente?"
Calmamente, sem qualquer traço de agitação na voz, ouvi-me responder:
"Desenvolvo um programa a longo prazo (qualquer mãe faz isso), em laboratório e no campo experimental (normalmente eu teria dito dentro e fora de casa). Sou responsável por uma equipe (minha família), e já recebi quatro projetos (todas meninas). Trabalho em regime de dedicação exclusiva (alguma mulher discorda???), o grau de exigência é a nível de 14 horas por dia (para não dizer 24...).
Houve um crescente tom de respeito na voz da funcionária que acabou de preencher o formulário, se levantou, e pessoalmente me abriu a porta.
Quando cheguei em casa, com o título da minha carreira erguido, fui recebida pela minha equipe - uma com 13 anos, outra com 7 e outra com 3. Do andar de cima, pude ouvir o meu novo experimento (uma bebê de seis meses), testando uma nova tonalidade de voz. Senti-me triunfante!
Maternidade... que carreira gloriosa! Assim, toda avó deveria ser chamada "Doutora-Sênior em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas", toda bisavó: "Doutora-Executiva-Sênior" e toda tia: "Doutora-Assistente". ""
Autor desconhecido


Feliz dia das mães!!

terça-feira, 5 de maio de 2015

Lojiiiiinha

Meninas
Sumida, mas por um bom motivo!

Três leitoras em sp nesse mês, duas leitoras mto queridas em início de tto, uma queridíssima gravidissima que ta me dando muita preocupação....e junte a isso, resolvi abrir um pequeno negócio online.
Pequeno, modesto, mas conto com cada uma de vcs para me ajudar a bombar!

Be esta super bem,  cada dia aprende uma palavra, sempre tem novidades.

Assim q as coisas se acalmarem escrevo um post bemmmm longo, do jeito q vcs gostam rsrsrsrsrs