sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Slowwwwdownnnnn

Pois eh.
Continuando o diplink da maternidade...
Eu estava toda toda, ja que adaptacao the flash da Beatriz tinha sido um sucesso. Como mencionei aqui, ela foi uma das primeiras que a coordenadora liberou para a tarde, mas hoje a mesma insistiu para que ela fique só na parte da manhã.
Lembram que na semana passada ela dormiu de manha, e eu estava super chateada? Pois é. Não aconteceu nada disso... Falha de comunicação mesmo. Ela não dormiu de manha e NEM a tarde. \o/
Hoje, munida desse conhecimento, conversei com as professoras, e fiz um manual. Descrevi item a item, da forma mais meticulosa (e bem chata até) de todo o ritual de soneca da Bê. #LDR*
Passo a passo desde o marco zero, com adaptações de horario depois da escola e tals. Mandei as explicacoes e instrucoes, naninha e mamadeira - que a escola abriu exceção na tentativa dela adormecer com mais facilidade. Dar o almoço, por no troninho/pinico, escovar os dentes (no lugar do banho), mamadeira, naninha e zzzzzzzzzzz
Lá eles comecam mais cedo o almoco, e por conta de nao ter transito nem banho, poe ela para dormir meia hora antes do que eu costumo.
Sei que a professora da manha, antes de ir embora, me ligou (fofa!!) e disse ter seguido todo o passo-a-passo.... mas que ate aquela hora - 12:50 - nada da donabe dormir.
Almocei e fui para a escola... cheguei la e ela estava calma, acordadissima, brincando. Quando me viu, ficou manhosa, soltou um ma-maaaae e se aninhou no meu colo.
Percebi que a escola ainda é "local de brincar". Para a Bê, ainda não é "local de brincar, comer, dormir e brincar".
E que por mais que ela tenha se adaptado super bem, ela requer um tempo maior... mais calma... mais tempo....
E voltei para casa com o azedinho de uma frustracao. Frustrada egoisticamente, reconheco. Pensei em ter mais do que só a manhã... Mas parece que ainda é cedo para fazer planos tão ambiciosos! Minha bebe esta cada dia mais apegada a mim e ao pai, e temos que respeitar esse processo de transicao e adaptacao.
Se eu trabalhasse fora, seria uma outra historia.
Seria por necessidade que eu estaria deixando-a, entao teriamos outra abordagem. Mas minha prioridade é, e sempre será a Bê. Pretendo voltar a trabalhar? Sim, um dia. Quando? Não sei. Acredito que as coisas vão acontecer naturalmente, seguir o fluxo. Assim como será com a adaptação da Bê: tudo ao seu tempo.
Por hora, slowdown.
Bom final de semana!!!


*LDR= loka da rotina

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Diplink

Meninas,
Eu me mudei de casa (e de bairro) ha uns tres anos. Viemos para um predio que eu amo, e depois de dois anos engravidei. Vi algumas barrigas crescerem e acompanhei o crescimento de algumas criancas que hoje brincam com a Be.
Nao sei se ja comentei, mas aqui ela é rainha e soberana; A unica menina no meio de 5 meninos, de 7 a 1,5 anos. Ai ai.... Tem dois irmaos em especial que vivem no terreo, onde temos um brinquedo (tipo casinha) e uma piscina. Nada comparado as super estruturas desses predios modernos, mas criancas nao precisam de muito para se divertir. Esses irmaos vivem no terreo e a gente acaba brincando bastante. Quando eles veem a Be, correm em direcao ao carrinho, beijam pe, mao, rostinho.... ela fica la, toda toda, se achando a tal. Sao sempre muito carinhosos, atenciosos e cuidadosos com ela. O mais velho tem 7 e o mais novo 2,8 anos.
Tem tambem outro menino, que tambem vi nascer. Esse temos menos contato, mas sempre conversei muito com a mae, tambem judia. Alias, a opcao pelo colegio onde a Be está foi bem influenciada por ela. O filho dela estuda na mesma escola desde 1,3 anos, adora, nao ficou doentinho, mil elogios. Eis que optei em colocar a Be na escola, assim ela teria um amiguinho um ano mais velho, mas que seria mais familiar para ela na escolinha.
Comecaram as aulas, e com isso as criancas voltaram `a rotina. Quase todas as tardes as criancas do predio descem para brincar. Um dia desses, desci com a Be para soltar bolinhas de sabão. Vamos combinar: em casa mancha o piso, e no quintal é otemo rsrsrsrsrs.
Os outros meninos, que estavam brincando, vieram ver a Bê, e entraram na brincadeira. Assoprava, e a Bê ficava admirando as bolinhas, e eles iam correndo estoura-las. Competição, ganhava quem estourasse mais.
Tudo lindo, maravilhoso, eis que o menino (que estuda na escola da Bê), gratuitamente vem ate o carrinho e pof. Deu um tapa na cabeça da Bê.
Ela fez um bico, respirou fundo, e meio que engoliu. Ficou com os olhos marejados, com cara de magoada. Mas nao abriu berreiro.
Acalmei ela, mas fiquei sem reacao.
O menino (2,7anos) estava com a empregada, e nao com a mãe. Ele veio depois (a empregada conversou com ele) e pediu desculpas para a Bê. Coisa de criança! Achei que estava resolvido. Ainda naquele dia, o mesmo menino aproveitou um segundo de distração, veio correndo e ploft. Outro tapa. Dai falei com ele: "voces estudam no mesmo colegio. Voce vai bater nela sempre? Porque bateu nela?"
Fiquei chateada. Conversei com o marido. Ele apenas disse "ai, se eu tivesse visto" Ai o que, cara palida? teria metido porrada numa crianca de 3 anos? Não tinha muito o que ser feito... Conversei com a professora no dia seguinte. Uma das professoras da Be desse ano foi no ano passado dele. Ela me explicou como fazer.
Enquanto a Beatriz nao sabe verbalizar nem se defender, eu devo verbalizar por ela.
"ela ficou muito triste. Ela gosta de voce, mas nao entende o porque voce fez isso."
Naquele mesmo dia, coloquei em pratica os conselhos da professora. Aproveitei e conversei com os pais dele, que casualmente encontrei no elevador. Eles ficaram consternados, disseram que ja fizeram de tudo... parece que a Be nao é a unica vitima. Tranquilizei-os, dizendo apenas "estamos no mesmo barco. Amanha pode ser a Bê a bater, mas temos que dar uma solução"
No carnaval, bastou descer e me distrair. Ele veio e ploft.
Sempre a mesma situação covarde: Beatriz amarrada no carrinho, ele vem correndo do nada, depois de ter feito carinho e brincado com ela, quando eu baixo a guarda, e ploft.
A situação estava ficando cada vez mais incomoda, mas agora me preocupou bastante.
No segundo dia de carnaval, as criancas brincando, e algumas interagiram bastante com a Bê. dentro das limitacoes dela, obvio. Criancas maiores, mas elas eram pacientes e carinhosas, oferecendo seu confeti, fazendo carinho, ate que veio uma vestida de galinha pintadinha que hipnotizou a Bê. Sim, a galinha tem um poder hipnotizante sobre as crianças. Mas a menina era muito parecida com o vizinho. loirinha, com cachinhos. E veio na direcao da be, para dar um abraço. Ela buscou a gente na hora, ficou com medo.
\o/
E me vejo naqueles dilemas, naquelas situações de mãe... Não sei como lidar!
Não quero educar o filho dos outros, não quero impedi-la de brincar com ele, mas não aceito e jamais aceitarei que minha filha fique com medos e traumas!!! Ou pior: seja saco de pancadas!
Lembram daquele pirulito diplik da nossa infancia? Tô comecando a achar que a maternidade é um diplink... Um azedinho doce.
O que vcs fariam no meu lugar??????

A nova passista!


Meninas,
Tenho uma novidade INCRIVELLLL para contar!
Beatriz se animou com a bateria das escolas de samba, e saiu andando e sambando!!!
Nossa filha aprendeu a andar, oficialmente no domingo de carnaval, dia 15/2, com 1 ano, 2 meses e 11 dias.
Ja tinha dado um passo aqui e outro ali, mas desde domingo esta cruzando longas distancias!!!
Nesse carnaval nos levamos a Be duas vezes num bailinho que teve no shopping. Foi bem legal.
A gente tinha levado ela num bloquinho de rua, chamado "mamae eu quero". Era para criancas tambem, mas nao estava tocando marchinhas... pelo menos na hora em que chegamos. E era de manha, e é sempre tão complicado sair de manhã... Não foi tão legal como esse do shopping sabe?
A Bê no carnaval de rua... onde a atracao era o confeti
Alias, fica a dica: foi um programa bemm legal. Não cobram nada para entrar, um local fechado, seguro, criancas bonitas, clima legal e ainda ganhamos confeti e serpentina kkkkkkkk E ah, tocava marchinhas apropriadas!!!
No primeiro dia, fomos meio de surpresa, entao ela nao estava fantasiada. No segundo, coloquei a fantasia de minnie que ela usou no niver e foi otimo!
Ela chegou la, e ficou encantada com os confetis, as fantasias, a musica... E ao inves de segurar o nosso dedo, segurou o saquinho de confeti e saiu andando! Foi demais!
Era isso que ela precisava, sabe? Deixamos ela andar, ela foi, foi, e foi ganhando confianca e agora ja anda grandes distancias!!!
Ela ainda prefere o conforto do nosso dedo, e eu nao tenho tbm muita coragem de deixar ela sair assim.... solta rsrsrsrsrsrsr
Aproveitei e comprei uns pares de sapato de uma marca que parece que é propria para os primeiros passos. Se chama Tip Toey Joey. Ela e toda flexivel, e tem a sola bem antiderrapante.


Ela caminhando no shopping <3
P.s.: meninas, ta rolando um frisson sobre o meu comentario que as criancas eram "bonitas". Baixem a guarda, não achem que estou sendo elitista, ou vejam de outra forma. Realmente não quis ofender ninguem, realmente tive uma impressão de que as criancas eram bonitas, alegres, ambiente gostoso sabe? Não vou editar ou tirar o "bonitas" mas tampouco me levem a mal.... plis! Quem acompanha o blog sabe que sou super verdadeira, de forma que editar o que escrevi seria ir contra o que sempre fiz so para ficar socialmente aceitavel; Quem me conhece pessoalmente - muitas leitoras- sabem que sou zero elitista e realmente foi uma ma interpretacao, ta? ;) Nem sempre usamos as melhores palavras, e nem sempre tambem agradamos a todos.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Percalços

Como a Be ficou doentinha, a adaptacao da tarde dela comecou na quarta.
Ela almocou #cazamiga e depois fui busca-la.
Naquela tarde ela deu mais trabalho para dormir. Liguei no colegio e perguntei se ela tinha dormido de manha, mas a professora disse que nao.
A sala dela TODA dorme um soninho de meia hora as 11:00, mas a Be permanece guerreira. As professoras acharam um pouco estranho, mas expliquei que se ela dormir de manha, atrapalha todo o resto do dia. Elas entenderam, e nunca mais insistiram para que ela dormisse junto com a turma. Fica sempre alguem com ela, dando um "role" pela escola.
Hoje ganhei um vale night da escola, praticamente.  Ela hj iria almocar, tirar a soneca e depois eu ia buscar. Era para eu ir buscar a Be as 14:00 e quando foi 13:15, eu fui escovar meus dentes e estava saindo para a escola; Entao recebi uma ligacao de la, dizendo que ela nao tinha dormido.... oi?
Chegando la, parece que ela nao dormiu depois do almoco porque dormiu de manha;
oi, oi????
Mas colocamos ela no troninho viu? Ela fez forca, fez forca, mas nao saiu nada. Ela fez logo em seguida na fralda... Oi, oi, oi,oi???????????
Respirei fundo.
Mas sou branca demais.... e fiquei vermelha de todo o jeito.

Sem perder a razao, expliquei (com vontade de esganar) que era dar um tiro no pe fazer a Be dormir de manha. Porque dai dormiria mais tarde a tarde, e iria baguncar a noite, o que poderia arriscar a manha do dia seguinte. E um efeito domino absurdo.
Nem falei sobre o pinico, mas sai da escola achando que se fosse para andar para tras, perdendo a rotina e fazendo coco na fralda, que entao era melhor parar por aqui.
E a Erica (sim, ela mesma) me acalmou no caminho -santo zapzap.
Ela disse que eles demoram a se adaptar. Que a Be tem a rotina dela na casa dela. Mas na escola, ja é estar fora da rotina.
Nunca tinha visto por esse lado....
O cansaco dela vai se adaptar... É infinitamente maior o cansaco dela na escola do que em casa.... Ela pode ter estranhado todo o lugar, os barulhos....

E entao me vejo, de novo, robotizando minha filha. Coitadinha nao e um robo. Tenho que ser menos tirana com ela e com todos.
Eu ainda me surpreendo com os novos percalcos. Esses percalcos da maternidade...

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Fotos da Festa da Be

demorei horrores, mas ontem eu finallllmenteeeee escolhi as fotos para fazer o album da festa da beatriz.

Aproveito para indicar o fotografo.....
Jose Roberto Bracini
jrbracini@msn.com
9 9277-6686

Foi o Tiago (da equipe do JR) quem fez as fotos.












Aproveito para pedir uma dica...
Tentei colocar marca dagua nas fotos, mas como podem ver, coloquei o texto mesmo. Trabalho com um mac, fiz a insercao do texto no visualizador. por um site de ajuda, eu deveria encontrar a opcao da opacidade do texto, e colocar em 10%. nao encontrei... alguem ai que saiba, pode me dar um help plis????

bjs



quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Bê esta otima de novo!! =)

Meninas,
Ontem de madrugada a be voltou a mamar.
mamou 100ml de agua de coco, comeu umas tres colheradas de comida, tirou uma super soneca, a tarde mamou um pouco de leite, dormiu bem e hoje acordou recuperada.
mamou super bem ontem a noite, e hoje amanheceu depois de um sono de beleza digno de princesa.
Levei-a para a escolinha, e chegando la, ficou tao feliz que bateu palminhas ao ver os amiguinhos.
Quando fui buscar, estava dancando enquanto a professora cantava uma musica da galinha.

=)

Tudo voltando ao normal.

Bjs

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

a Bê esta dodói :(

Meninas,
a semana passou alegremente.
Beatriz na escolinha, as manhas foram proveitosas e bastante corridas. Na segunda, ela acordou as 6:30, e a manha rendeu super! Nos outros dias, a noite nao foi otima e ela acabou acordando mais tarde. Na sexta saimos de casa as 8:30, pegamos transito, chegamos na escolinha as 8:50. E peguei um transito absurdo para voltar para casa, depois outro absrudo para voltar para a escolinha. Aff. Mas na sexta, a diretora me chamou e disse que achava que a be estava pronta para comecar a adaptacao da tarde.
Que na segunda ela iria almocar na escola, e depois voltava para casa. na quarta almocava e dormia, e na sexta estaria adaptada ao integral.
Etiquetei lencois, naninha e encomendei uma chupeta com o nome dela.
No sabado, ela amanheceu manhosa. Mas estava tudo bem, almocou super bem, mas nao quis dormir apos o almoco. Dormiu a tarde, baguncou os horarios, e nao quis jantar nada.
Teve febre na noite de sabado para domingo, mas dormiu razoavelmente bem. Dei tylenol, e domingo amanheceu completamente ruim. Chorando muito, sem motivo, ainda febril, e babando bastante. O pedi confirmou pelo zapzap, e mantivemos o tylenol. No almoco de domingo, quando ela tambem nao quis comer (nao quis o leite da manha nem o suco), dei um alivium e ela ficou bem disposta. Nao quis dormir, nao quis comer, babando muito. Fez um coco super liquido.
Se domingo foi ruim, é porque nao calculava a noite que me esperava...
Ela me chamava e logo via que ela estava com dor. Se aninhava no colo, relaxava e entao dormia. Esperava 20 minutos, e entao voltava no berco. Era instantaneo... nao chegava a deitar na minha cama que ela despertava novamente. Isso umas 7 vezes das 19 as 22.
Aninhar uma bebe nos bracos e delicioso. Saber que vc pode oferecer conforto para um serzinho lindo é gratificante. Mas as costas nao aguentavam mais. E o sono comecou a bater... Fiquei muito medrosa quando encostei nas almofadas da cama da baba e percebi que eu tambem adormeci. Fiquei com receio de relaxar e ela cair.
Ao mesmo tempo, sabia que tinha que estar 100% para ela. Tantas vezes tive dor de cabeca, e mesmo sabendo que nao ia passar, estar aninhada no marido me fazia tao bem. Tive a maravilhosa ideia de colocar o colchao no chao, cerquei de almofadas, encostei na cama, e deitei com ela. Ela acordou 17395062729 vezes, mas via que estava comigo, no meu colo, e voltava a dormir.
Ofereci leite as 17395062729 vezes, e ela aceitou as 5 da manha 120ml.
Durante a madrugada tambem dei tylenol. O estado febril se manteve.
Ela acordou e estava disposta e chorosa. Babando horrores.
Nenhum outro sintoma.
Nao ha mal nenhum em mandar um bebe com dor de dente para a escola.
Mas dai minha empregada sugeriu uma amidalite, e achei melhor encaixar ela num horario no pediatra. Fomos para o hospital em que ele atende, e a consulta demorou horrores.
Disposta e chorosa, fiquei com a Be no colo das 9 as 11:00, quando finalmente fui atendida.
Apos um exame, o doutor me mostrou os pontinhos de pus nas amigdalas, mas tambem no ceu da boca. Estomatite.
Ele disse que muitas vezes isso da pontinhos vermelhos nas maos, pes e nas genitais. Ficou surpreso de ela nao estar com esses sintomas "classicos", mas me alertou que talvez o quadro pudesse evoluir e ela pudesse piorar. A estomatite pode durar ate 7 dias...
Extremamente contagiosa, ela deve ficar longe da escola enquanto estiver babando desse jeito. Ela possivelmente pegou de outra crianca, ja que nos nao pegamos mais.
Ora, de ela e contagiosa, porque nao pegamos mais doutor?
Porque é ja estamos imunizados, e essa é a boa noticia: um dia ela iria pegar, entao vc acaba de tirar uma doenca chata da frente.
=I
Fiz os exames para confirmar se manteria apenas o alivium, ou se deveria entrar com antibioticos tambem e ainda aguardo o resultado.
Minha princesa voltou adormecida no carro, mamou um pouco e esta dormindo.
Estamos todas cansadas, e dormir fara muito bem a ela. Espero que ela logo se recupere.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Só mãe. Com muito orgulho

Meninas,
Sempre falo sobre o que eu sinto, mas as vezes para falar o que sinto eu preciso dizer um pouco quem eu sou.
Vim de uma familia de classe media alta, sempre tive muito conforto, mas fomos educadas para saber os valores das coisas, entao tinha conforto mas nao tinha luxo. Hoje percebo que eramos ricos, que tinhamos condicoes de ter tido uma vida alem da que tivemos, mas meus pais sempre nos educaram com os pes no chao. Admiro muito isso, e pretendo repetir exatamente igual com a Be.
Mas muitas coisas eu nao pretendo repetir...
Da minha infancia, tenho poucas lembrancas felizes. Meus pais tocavam a vida deles e a gente devia se enquadrar. Minha mae trabalhava em duas escolas e viviamos correndo. Eu admirava as maes que buscavam com calma e tranquilidade as filhas na escola. Elas desciam do carro e pegavam as filhas. Conversavam. Eu e minha irma saiamos correndo porque minha mae buzinava na esquina. Faziamos rodizio com 17347 outras criancas, cada hora voltavamos com uma mae diferente. E tinhamos sempre outras maes como parametro.
Eu tambem nao me sentia muito protegida. Como minha mae lecionava no meu colegio, ela nunca dava razao para a gente. Tinha medo que achassem que ela estava puxando sardinha, entao para nao ameacar seu emprego, ela sempre partia do principio que estavamos erradas. Eu menos, mas minha irma era vitima constante de bullying, e ela semmmmpre estava errada; Mesmo quando estava certa.
Nos finais de semana, tampouco tinhamos muito carinho, ou momentos em familia, ou momentos dedicados a mim.
Me sentia muito largada, desamparada. Me sinto um pouco assim ate hoje.
Minha mae e pai tiveram os motivos deles, e a mim cabe apenas lidar com mais maturidade.
Mas hoje sou mae.
Lutei demais para ser mae.
Sofri demais para conseguir engravidar.
Nesses anos que se passaram de infertilidade, vi como a maternidade era importante para mim. Como sem ela, eu nao conseguia me completar.
Sou arquiteta, formada por uma excelente universidade, com notas excelentes. Meu TFG teve 9,5. Depois fiz alguns anos de administracao de empresas, e tambem conclui um MBA numa outra excelente universidade com nota maxima.
Diploma algum sequer me trouxe felicidade.
Tive muitos momentos de satisfacao no trabalho. Fiz obras importantes, obras publicas carregam meu nome e sobrenome como autora e idealizadora. Fiz reformas, projetos, construi algumas coisas, decorei outras. Ja fiz jardins que cersceram e ficaram lindos, outros que estao horrorosos. Tive clientes apaixonantes, tive clientes que foi um parto. Tenho 12 anos de formada e um curriculo invejavel.
Mas o maios projeto da minha vida se chama Beatriz.
E mesmo com ela na escola, eu nao pretendo voltar a trabalhar. Nao agora, nao hoje. Talvez eu mude de ideia.
Essa questao se tornou latente desde o momento em que decidi que colocaria ela na escola.
Mas eu quero dar para minha filha o amparo, o carinho e o amor que eu senti tanta falta. Quero poder estacionar o carro e ir busca-la na escola, antes de todos. Sair andando, enquanto vejo outras maes correndo.
Quero poder conversar com as professoras dela, conhecer os amiguinhos, saber dos detalhes do dia dela.
E nesse momento, eu posso isso. Meu marido topa que eu fique em casa e seja mae.
Só mãe. Com todo o orgulho desse mundo.