segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Personal nerd

Meninas!!!

Desde a semana passada estava impedida de postar.
Deu um erro bx que me impedia de fazer qquer alteracao... e quis contar mil coisas para vcs mas nao pude.
=(
Mas ja estou de volta, gracas a minha querida amiga e BFF, e agora personal nerd!!!

Uhuuuuu

Vou ver os comentarios, responder e assim que puder posto novidades. nao que eu tenha muitas, longe disso rsrsrsrsrs

bjsss

sábado, 15 de fevereiro de 2014

Terapia

Ja contei para vcs que fiz terapia?
Nesses anos de corrida atras da nossa bebe, fiz terapia por duas vezes.
A primeira, fui na terapeuta sozinha. Fui conversar sobre a questão filho. basicamente conversamos sobre isso por uns três anos. contava sobre outras coisas, mas não havia uma sessão em que a palavra "filho", ou mesmo "gravidez" não fosse mencionada. Chegou num ponto que não aguentava mais esse assunto. Ja não aguentava mais falar sobre isso.
Morava no tatuape, cruzava a cidade e ia ate moema para a consulta. Uma hora para ir, uma hora de consulta, uma hora para voltar. Todas as quartas feiras, chorava. De tudo que foi dito, me lembro muito que ela tocava num ponto: que minha vida não podia girar em torno de um filho. Que seria uma responsabilidade enorme para essa criança ser a razão da minha existência, da minha luta, o motivo da minha alegria. Que eu deveria ser feliz como individuo, independente do filho existir ou não.
Ah, mas chegou num ponto em que eu não aguentava mais essa ladainha.
Me dei alta!
Jurei que so voltaria la bem gravida.
Fiquei gravida e nao tive a menor vontade de voltar. Apenas liguei para ela, para contar que estava gravida, e acredito que ela tenha noticias minhas ainda, pela minha irma, que se consulta no mesmo consultório onde ela clinica.
Uma outra ocasião em que fui a terapia foi depois de entrar no buraco negro de agosto/12. Foi a época mais negra da minha vida, quando criei o blog.
Depois de ter o ciclo de julho/12 cancelado, desmoronei, e o medico responsável pela clinica onde eu passava me recomendou fortemente uma ajuda profissional. Acho inclusive que na época ainda ia na dra, ou se não ia, tinha acabado de me dar alta. Fui poucas vezes na psicóloga da clinica. Comecamos como terapia de casal, mas logo a terapeuta viu que era eu quem tinha mais necessidade.
Me recordo quando ela bateu de frente comigo e disse: "aprenda a viver sem o filho, porque talvez ele não venha." Putis, que divicil ouvir isso. Para mim, na época, foi o mesmo que ouvir "desista dos seus sonhos." bati boca com ela.
Disse que ela poderia não acreditar, mas que eu ia engravidar sim. E que ate la, era problema meu como eu ia me virar, porque não queria ela na minha vida para ser uma ancora. E me dei alta.
E agora as questões levantadas la atras começam a bater na minha porta.
E eu percebo que embora ainda não tenha o menor saco de voltar para aquele nhenhenhem (psicólogas que me perdoem, mas tenho certeza que vcs tem uma ótima explicação para o meu comportamento), tudo o que foi conversado laaaa atras começa a fazer algum sentido.
Quando a bebe nasceu, minha vida finalmente fez sentido.
Sou mae.
Tudo ficou lindo e cor de rosa.
Durou no máximo uma semana; Com dez dias, eu ja me questionava sobre tudo.
O cansaco bateu, e aquele cerzindo minúsculo que dependia de mim para tudo começou a se tornar um gigante que me oprimia a ponto de eu me sentir completamente anulada por ele. Sentimento muito doido, não sei se consigo explicar. A Thais se perdeu, se anulou, deixou de existir. A mae da Beatriz, aquele ser sem maquiagem, de rabo de cavalo, que mal penteia os cabelos e escova os dentes se apoderou de mim. Minhas roupas se tornaram pijamas com aberturas para amamentação, meu perfume se tornou leite, minhas noites dias, minha vida do avesso.
Estava feliz? Sim, realizada.
Mas o cansaco era imenso, e embora estivesse feliz, chorava sem motivo. Ue, não era isso que eu queria afinal? Uma bebe linda, saudável e perfeita, porque reclamar? Do que reclamar?
Foi quando entrou a baba.
E quando entrou a baba o meu mundo desmoronou ainda mais. Percebi que me sentia culpada.
No comeco, me sentia ameacada. parecia que ela estava ali para tirar meu espaço, meu lugar de mae. Ela começou aqui em casa, e embora ela me desse mais horas livres, eu me sentia péssima quando via a minha bebe calcinha no colo DELA. Acho que nem vinte anos de terapia resolveriam meu caso rsrsrsrs
Depois, quando eu ia dormir, me sentia mal porque eu não tinha conseguido ser tudo aquilo que tinha projetado. Ok que quando sonhei em ser mae eu nunca sonhei nas noites mal dormidas, fraldas sujas, choro, cansaço. Sempre imaginei a Thais original, bem produzida, com sentimento de realizada, com um bebe lindo, cheiroso e dormindo nos bracos. Nos meus sonhos a bebe não chorava... não se sujava...e dormia a noite toda. nunca pensei na logística que existe por trás da criação de bebes. Bem, era um mundo desconhecido, o qual eu me afastava sempre que podia.
E percebi que me sentia muito mal, envergonhada ate, pela existência da baba.
Tinha a baba e isso me fazia me sentir menos mae. menos competente. Menos capaz. Como se a baba, ao invés de uma ajuda, fosse o meu atestado de incapacidade.
Ja sao duas semanas que ela esta comigo, e demorei esse tanto para conversar isso com vcs.
Conversei com uma ou outra pessoa, e percebi que muitas maes tem esse sentimento maluco também.  E ouvi as coisas mais loucas... por fim, concluo que para se criar um bebe com amor, temos que estar de bem conosco. Uma mae feliz, tranquila, pode dar amor para o filho. Algumas mulheres conseguem estar de bem consigo sem ajuda alguma. Com um bebe, uma casa, sem empregada, sem a ajuda do marido. Eu não consegui.
E ainda me sinto mal por isso, porque vejo tantas amigas sem empregada, sem baba, com filhos. Mas dai lembro de um dos conselhos que ouvi: qualidade, não quantidade. E penso que com a ajuda da baba, posso dar uma atenção de qualidade para a minha filha. E mesmo assim, procuro dar quantidade também.
Desde que a baba entrou, eu continuo preparando o banho, dando o banho, trocando roupas e fraldas, dando de mamar (seio ou mamadeira). Ela arrota, põe para dormir e se encarrega de toda a logística por trás... a limpeza da banheira, das roupas, fraldas, organização, esterilização das mamadeiras. Eh muita coisa!!!
E desde que a baba entrou, meu leite aumentou absurdamente!
Essa eh a prova de que eu estava cansada messssmo. estuo bebendo mais agua ainda (algo em torno de 3,5l por dia), comendo as castanhas do para que a Bella me ensinou (3 por dia para um leite mais gordo).
A bebe ainda nao entrou na rotina.
Alias, quem entrou na rotina fui eu. Entrei na rotina DELA.
definimos os horarios mamada apôs mamada. Sei que ela acorda as 6 ou 7, mama as 9 ou 10, depois mama de novo e dorme depois dessa mamada. Acorda, mama, passeamos, dou um belo banho, mama, fica acordada e mama de novo. Vai dormir depois da mamada das 22-23 e acorda pontualmente as 3 da manha para mamar.
E assim passam-se os dias, semanas, meses. E espero que eu me enquadre nisso tudo, da melhor forma possível. Que eu consiga perceber que sou a melhor mae que posso ser. E que isso seja suficiente para a minha filha.
espero que esses anos de terapia finalmente facam sentido.

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Viagem cancelada!

gente, a viagem foi cancelada!!!!
Fico triste pela Susana, seria uma linda oportunidade de conhece-la, mas tirei um piano das costas!!!
Na quinta feira o Ma foi viajar a trabalho, e voltou sábado cedo. Chegou em casa e disse:
"amor, pensei bem e usando o bom senso, vou cancelar as passagens. Não vamos mais viajar."

ufaaaaaaaaaaaaaa

Eu fiquei taaao aliviada, tao feliz que a única coisa que fiz foi abraça-lo e dizer obrigada. Incrivel como certas situações são inexplicáveis. Quem, em sa consciência teria uma reacao dessas com uma viagem para a Europa?! pois e, a maternidade tem dessas coisas, muda a gente, nossas prioridades, valores.
Eu estava com um pesar muito grande em pensar que a bebe poderia sentir que foi abandonada por uma viagem completamente desnecessária.
Preciso viajar? Sim.
Estou estressada? Sim.
Uma saída vai fazer bem para o casamento? Sim.
E a hora? nao.

E nao sei quando chegara a hora, e se ela chegara. Esse impasse me ensinou que quando me casei, passei a ser nos.
Mas quando me tornei mae... tudo mudou. Meu coração bate fora do meu corpo. Eu e meu marido ainda somos nos, mas a minha ligação com a bebe eh algo extraordinário, inexplicável... não existe uma ordem de prioridades, porque ela esta no numero um, dois, três,.... e parece que não ha mais ninguém depois dela. Terei que me reeducar.
Sei que deve haver um lugar para mim, para eu casamento, para meu marido, para o resto da população mundial. Mas nesse momento, em que ela eh tao pequenininha, indefesa e dependente, não, não ha espaço nem lugar para mais ninguém.

A maternidade esta me ensinando a aprender tudo de novo. Todos os meus conceitos, ideias, ideais e sonhos mudaram. Tudo o que falei que não faria, fiz. A maternidade eh mesmo muito contraditória. Sempre li que quando nasce um bebe, nasce uma mae, e o que exigir de uma mae de dois meses? O mesmo que um bebe de dois meses, certo?
Acabei de nascer como mae. estou conhecendo esse novo mundo, não posso mais me cobrar como me cobrava antes.
A mulher, arquiteta, esposa, filha, amiga de 32 anos deu espaço para a mamae de 2 meses. Tenhamos paciência comigo. Acho que assim vou conseguir administrar a ansiedade e insegurança que me rondam, com muita paciência e auto tolerância.
Por hora, ficarei por aqui, lambendo a minha amada cria.


quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Viajar?!

meninas,
ja comentei com a Susana e agora comento com vcs.
Meu marido quer viajar.
Alias, ele ja comprou as passagens!!!! Para o dia 12/marco, daqui a quase um mes.
O que deveria ser um motivo de alegria, esta para mim sendo um peso, um martírio. Não iremos levar a Beatriz. Ela ficaria na casa da minha mae.
Como deixar para tras uma bebe de 90 dias, por quase 15 dias?
Vou perder esses 15 dias da minha filha??!!!??
Como dizer para o marido que esta preocupado comigo (e conosco) que prefiro ficar em casa com a bebe do que fazer uma super viagem com ele?
E como fica a questão da amamentação?
Muitas duvidas.
Passagens emitidas e eu ainda em sofrimento, ainda dividida com tudo.
No final de semana, meu leite espirrava. MUITO leite, como ha muito tempo não via. No sábado, amanheci com o colchão molhado de leite, e acreditem: por mais azeda que eu possa ter amanhecido, isso para mim eh felicidade. Esse episódio foi único nos últimos dias, essa noite dormi sem protetor e nem vazei.
No entanto, nao tenho ainda a segurança de que o meu leite apenas possa sustentar a Be. Ainda mais as 4 horas que insisto em fazer, e se vcs vierem me dizer que com o LM sera de hora em hora... eu ficaria muito confusa e isso me faria deixar de amamentar.
Ela mama as 6, 10, 15, 18, 22 e 3. As mamadas das 22 e 3 são apenas de leite artificial, e as demais dou o peito e entao a mamadeira. Hoje, com esse caloooooor que esta em sp, ela mamou apenas do peito as 6 e as 10. E agora estou esperando ela acordar para a mamada das 15. Alias, que lindo intervalo, não? Ela esta fazendo esse intervalao ja fazem alguns dias, uma pena que também ha alguns dias ela insista em acordar as 3 da manha rsrsrsrsrsrs
Bem, sei que estou super dividida sobre eu INCENTIVAR ELA A LARGAR O PEITO, ou sobre ir viajar com o marido.
Parte de mim sabe que estando numa super viagem incrível, eu estaria com metade de mim aqui. Nunca mais serei inteira, sempre terei essa sensação de estar pela metade, mas sei que meu marido eh minha outra metade também. Ele me exige essa disponibilidade, a minha cia, minha presença. E negar isso a ele poderia balançar nossa relação. E entao ouco uma voz dentro de mim que diz: Vai agora, eh melhor, a bebe não vai sofrer, eh so desmamar ela. estando com a mamadeira, vc pode mandar a baba para o interior, ela vai ter a rotininha dela, vai dar tudo certo.
Outra parte diz: nao vai, insista em amamentar, voce vai conseguir. Voce ainda tem leite, e não ha nada melhor do que o leite materno para um bebe.
Duvidas. Viajar eh preciso, mas agora?!


terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Elogio bem vindo

Hoje pela manha minha irma me ligou.
Isso seria um fato corriqueira na rotina da maioria das pessoas, mas não da minha rotina. Eu e minha irma não somos, nunca fomos best friends. Nunca pude contar com o apoio dela, e muitas vezes contei inclusive foi com a critica dela. Bem, hoje ela me surpreendeu...
Me ligou, perguntou como eu estava e eu contei, que bem, tinha contratado uma baba. Que não estava aguentando, e acabei cedendo, e ela choveu elogios!
Me disse que estava preocupada porque eu estava com cara de exausta;
Que ficou furiosa quando minha tia me criticou pela forma que dava mamadeira para a bebe;
Que eu estava me saindo muito bem, que era uma ótima mae. Que enchia a Beatriz de amor, carinho e paciência.
E por fim, disse assim: viva seu sonho de ser mae, não deixe que ninguém estrague isso. Aproveite a baba, que pode ficar apenas um mês, uma semana. Entao aproveite e tire esse tempo para vc. Se curta,  vai fazer a mao, o pe, o cabelo. Faca uma massagem, cuide de voce.
Pois eh, tem horas que o elogio vem de onde a gente menos espera. Fiquei surpresa e feliz.

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Baba

Nada como um dia apôs o outro!!! E um post apôs o outro também.
Segunda-feira, quando escrevi o ultimo post, minha vida estava de ponta cabeça e tudo desmoronando. Estava desesperancosa e cansada, mas hoje estou com muita esperança e bastante feliz. Novamente, meu animo varia conforme as horas dormidas. Ainda não aprendi a dormir de tarde, o que poderia me ajudar no quesito cansaço e leite, mas ja aprendi MUITA coisa nesses dois últimos meses.
Dois, pois eh... terca feira nossa princesa faz dois messes de vida!
O que aprendi recentemente foi que ela não luta contra o sono, como achava. Ela da sinais de que esta com sono. Assim que ver os sinais, corre para que ela durma logo. E quais os sinais? Duas bocejadas! Entao ela mama, troco a fralda, e converso com ela. Brinco com um chocalho, um bicho de pelúcia por 10, 15 minutos. Uma bocejada, a segunda bocejada ja agilizo para ela ir dormir. Dessa forma, ela não chora, nem luta contra o sono, como eu achava;
Outra coisa que aprendi eh que a bebe sabe o limite do quanto deve mamar. Se fica horas pendurada no peito e continua chorando, ou esta fazendo o peito de chupeta ou o leite não esta saciando. De mamadeira que tem uma hora que a bebe diz: basta! E não insista, se ela esta satisfeita, não insista. Claro que temos que oferecer N vezes, ver se ela não quer agora por causa de um arroto, ou se ela apenas esta dando um tempo entre uma sugada e outra.
Aumentei o meu consumo de agua de muita para o modo camelo. A Bella comentou comigo que bebia 4 litros por dia, e fiz a seguinte conta: 4L=16 copos=1 copo por hora acordada. Estou desde esse comentário enchendo a cara, e com isso o meu leite aumentou!!! Sim, somente com agua meu leite deu uma pequena aumentada de volume. Ainda me falta gordura, qualidade, me parece que meu leite eh muito clarinho, muito aguado, e enquanto isso estou no mamatuti, garantindo o meu leite e o complemento. Fico mais segura.
E por falar em segurança.....
Contratei uma baba.
Passei minha vida desconjurando as madames do meu bairro e prédio, que não cuidavam dos filhos, que os entregavam para as babas, pessoas desqualificadas e ignorantes que educavam os filhos. Que passavam o tempo de ouro dos bebes, enquanto as ames estavam nas academias e salões de beleza.
A lingua eh a chibata da vida.
E so o que tenho a dizer.
Me rendi a esse time de mulheres. Ainda estou super incomodada de ter uma pessoa completamente estranha dentro da minha casa, cuidando do meu bem mais precioso. Mas essa decisão foi tomada na quinta feira.
De segunda ate quinta, meus dias estavam como no post anterior. Na terca a noite, minha adorável filha dormiu das 23 as 6, e quarta foi um dia adorável. estava disposta e feliz. porem, na quarta a noite, ela acordou no meio da noite, e enquanto lutava para voltar a dormir no berco, ela vomitou. Voltou leite pelo nariz, no meio da noite, na escuridão do quarto.
Minha sogra estava la.
Foi ela quem viu e acudiu.
E se tivesse sido eu?
Grogue de sono, como tantas vezes a deixei no berco e disse: ela vai se acalmar e dormir sozinha; teria o pior acontecido? Panico.
Eh assim que os bebes sufocam e morrem.
teria minha filha sobrevivido a esse episódio se fosse eu quem estivesse la?
Mexi meus pauzinhos e na quinta a tarde a baba estava contratada.

Uma pessoa totalmente desconhecida (não confio em referencias, sempre acho que do outro lado da linha tem uma prima dizendo que a funcionaria eh ooootima) dormindo, morando na minha casa. Ela vai ficar conosco de segunda a sexta, full time.
Dizem que ate o terceiro mês eh caos, depois as coisas se ajeitam, e vou confiar nisso. Mas não vou arriscar mais um mes.
O que espero da tal baba eh que ela coloque uma rotininha na Be. Ela esta indo bem, mas de vez em quando pula os horários (hoje eh um dia que ela esta alternativa). Ela se comporta quando saímos, fica quietinha e/ou dorme no bb conforto, mas minhas reclamações são:
- ela ainda acorda no meio da noite.... gostaria que ela mantivesse todas as noites o padrão 23:00-6:00.
- gostaria também que apôs a mamada das 19:30, ela ficasse quieta no berco ou dormindo. Hoje ela quer ir para a balada. Chora ate pegarmos ela, e dai eh colo, brincadeiras e conversa.

posso estar exigindo muito de uma bebezinha, mas para mim vejo da seguinte forma: com a rotina ela vai repetir um padrão que ja existe; E da mesma forma que ela dorme a tarde e de manha, gostaria que ela apenas trocasse esse soninho da manha e tarde para a noite.
Tudo questão de ajustes.

Alias, conversando com as minhas amigas do ef (a maioria das guerreiras ja estão com os bebes nos bracos!!!!!), vejo como estou indo bem, obrigada.

E por falar em bem, obrigada, para mim a baba tem data e hora para ir embora.
Veremos.

(essa foto foi ontem, no almoço num restaurante barulhentesimo, dormindo que nem um anjinho!!)