quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

D3-27 fev

D3: 27/02
Ontem fomos à uma festa, e por isso tive que aplicar o Lupron das 22:00 quando voltamos. Não é o ideal, maaaaas, aconteceu. Aliás, que festa!
Agora, estamos no avião, nossa viagem comecou. E me questiono se é normal esse enjôo que estou sentindo. Lupron? Talvez. Vamos ver.
Bem na nossa frente, sentou um casal com uma bebê linda. Assim que o vôo decolou, e a aeromoça ligou o forninho, a neném sujou as fraldas. Tô enjoadissima, com esse cheiro de cocô de neném com comida de avião. Argh! Triste! Estou com meu saquinho como companhia, fazer o que né.
Vamos observar se esse enjôo vai passar ou não. Tomara que passe, porque férias não combina com enjôo. Quero estar super disposta para aproveitar ao máximo!

Nessa semana que passou, tivemos tres positivos! Dois no efamily, sendo um deles de uma amiga que veio para sp e nos conhecemos. Pessoa super especial,  super merecedora mesmo. Ela comeu 4 ovos depois da transferencia e tambem aquela frutinha carésima, chamada Physallis. Dizem que a fruta ajuda o organismo a aceitar orgãos transplantados,  entao pode mesmo ter ajudado. Quanto aos 4 ovos... Eu gosto de ovo, mas 4 por dia???? Vamos ver.... Ate a transferencia, teremos algum tempinho ainda. E o outro positivo foi de uma americana, que peguei a historia dela no meio do caminho.

Uma coisa que achei estranho é que uma das meninas que iniciou Lupron nos EUA esta com o dobro da minha dosagem. Ela ja iniciou com 20. Acho que por la eles capricham nas dosagens.

Até agora, as injeções não doeram, nem deixaram roxo.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

D2 - Lupron

Meninas,

Como algumas sabem, amanhã estarei de férias. Vamos para a praia, descansar um pouco de tudo. Vai nos fazer bem. Levarei os remédios, aplico por lá mesmo. E na medida do possível, vou postando.

Comecei ontem com o Lupron, as 22:00 (dia 25/2 - D1/tto). A enfermeira sugeriu que eu elegesse um horário e fosse o mais fiel possível a ele. Acho que às 10 da noite está bom. O Lupron fica na geladeira, assim como a geléia real.


Para quem nunca viu, esse é o Lupron, que vem nesse pote, com as agulhas. Estou usando na marca 10. O kit custou R$562,00, e esse é só o começo das picadas e dos altissimos valores gastos em remédios. Tambem cliquei para vcs verem os remédios que eu tomo. Da esquerda para a direita:
- coenzima Q10 (1x ao dia)
- DHEA (1x ao dia)
- Vitamina E (1x ao dia)
- Vitamina C (1x ao dia)
- Ácido fólico (1x ao dia)
- geléia real (1x ao dia)
- vitamina D (1x por semana)

O remédio vermelho do centro é Vitergan zinco, do Maridão.

Ainda sem sintomas do Lupron.
O único sintoma foi da coenzima, que pipocou minha pele de espinhas e deixou meu cabelo mais oleoso. Só.

Bjs!!





segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Começo do tratamento

Meninas,
ansiedade a mil!!! Hoje, conforme o combinado, acordei bem cedinho e fui fazer a dosagem de progesterona e estradiol. A Dra Daniella pediu urgência, e na hora do almoço recebi o resultado. A resposta da Dra foi: INICIE HOJE O LUPRON!

Bem, formalmente, está dado o início do meu ciclo, que será um ciclo longo. Começo hoje com o Lupron, que é um bloqueador. Ele deverá bloquear a produção de hormônios do ciclo que se inicia quando eu mestruar. Pelo que entendi, agora quem manda nos hormônios é a Dra, não mais a minha hipófise.

Início do tratamento que vai tirar o bebê dos meus sonhos e trazê-lo para a minha barriga.
Feliz, feliz, feliz. Feliz demais!

PROGESTERONA
     PROGESTERONA
     Resultado:               7.0    ng/mL                     0.1 - 28
     Material : Soro
     Método   : Quimioluminescência
     Valores de referência para mulheres (ng/mL):
     Não grávidas : 
       Fase folicular       : 0,14 - 2,03
       Fase peri-ovulatória : 0,40 - 4,47
       Fase lútea           : 1,42 - 16,60
     Gestantes  :
       Primeiro trimestre : 6,57 - 40,30
       Segundo trimestre  : 9,66 - 62,30
       Terceiro trimestre : 24,50 - 334,00
     Pós-menopausa : 0,15 - 1,04
     Observação: Metodologia alterada em 28/11/2011.
Data de liberação_: 25/02/2013 13:16
ESTRADIOL
    Resultado:                   80   pg/mL
    Material: Soro
    Método:Imunoensaio quimioluminescente competitivo
    Valores de Referência :
    - Feminino:
          - Fase Folicular: 27 a 161 pg/mL
          - Meio do ciclo : 187 a 382 pg/mL
          - Fase lútea    : 33 a 201 pg/mL
          - Pós-menopausa : Inferior a 38 pg/mL
    - Masculino :até 66 pg/mL
    Observação: valores de referência alterados em 30/01/2013.
Data de liberação_: 25/02/2013 13:21  

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Como melhorar a qualidade dos óvulos em 90 dias

Um estudo sobre como melhorar a qualidade dos óvulos. Uma pena estar em inglês, porque eu não tenho paciência de traduzir ipsis literis.

Basicamente, ela diz que vc tem 90 dias para melhorar a qualidade do óvulo, que seria o tempo que o óvulo demora desde o folículo até a ovulação, conforme a figura:

Click to view larger

Alterações dentro do período amarelo vão garantir óvulos de melhor qualidade, segundo a autora desse estudo. Então, ela enumera os seguintes pontos como principais:
- ÁGUA - essa é velha, mas a gente vive esquecendo. Enquanto lia a matéria, levantei para beber água rsrsrsrsrs
- EXERCÍCIOS AERÓBICOS - tbm é velha. mexa-se! 
- MASSAGEM PARA FERTILIDADE - Ela sugere a automassagem ou a massagem abdominal maya. Mas importante: se estiver tentando nesse ciclo, pare um pouco antes da ovulação. E quando descer a mestruação, tambem pare com a massagem.
- EQUILÍBRIO HORMONAL - uma dosagem pode ilustrar a situação. Peça para o seu médico. Se o FSH estiver alto, ela sugere usar uma erva chamada Vitex.(mais em http://natural-fertility-info.com/vitex)
- STRESS - para mante-lo sob controle. Essa atmbém é uma velha conhecida.
- NUTRIÇÃO. Ela então sugere os seguintes alimentos:
geléia real, Maca peruana (Lepidium meyenii), folhas verde escuras, brocolis, berries (morangos, amoras, framboesas), folhas escuras (alfaces, repolho roxo, etc), halibut, salmão, semente de abóbora, gergelim, gengibre e açafrão.
E proibe:
refrigerantes, cigarro, cafeína, alcool, açucar, carnes e laticínios não orgânicos, produtos lights, alimentos processados e trangênicos. basicamente, o conselho dela é: mantenha-se o mais natural possível. O que achei curioso é que aliado à esse estudo, encontrei outro que pasmem: diz que uma dieta com baixa calorias pode SIM melhorar a qualidade dos óvulos. Esse estudo ainda não foi comprovado com humanos. Difícil é conciliar a ingestão de tudo isso com uma dieta de baixa caloria. Dêem uma olhada em outro estudo:
http://www.medpedia.com/news_analysis/30-The-Patients-Doctor/entries/101653-An-expert-patient-reviews-the-medical-literature-on-how-to-improve-egg-quality

Sugere ainda suplementos vitamínicos, antioxidantes e L-arginina. lembrando que essas coisas nos estados unidos sao facilmente encontradas, vendidas em potes dentro de supermercados. 

Quem quiser ler a matéria ne íntegra, acesse:
http://natural-fertility-info.com/increase-egg-health
Sobre a maca peruana:
http://natural-fertility-info.com/maca

O autor do segundo estudo ainda fala sobre os perigos do DHEA (que eu tomo por conta própria), visto que é um hormônio que pode mexer com a tireóide, e seus benefícios em humanos tambem não foram comprovados ainda.

Nas conclusões, ele menciona sobre o FSH e o mulieriano, lembrando que baixa reserva não significa que os poucos óvulos não tem qualidade. Ele afirma que uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. (profundo!) 

O mais interessante desse segundo estudo, é que foi uma resposta à um post de uma mulher, que assim como eu, e como tantas outras, sofre com o diagnóstico ISCA. Ela permanece anonima, mas faz depois o comentário dela, e vou dizer; dói ler. Entendo e compartiho cada palavra, cada lágrima, cada medo, cada dor dessa mulher. O incrível desse mundo é encontrar essa humanidade latente em todos nós, independente do país, da religião, da classe social. Somos humanos, mulheres, guerreiras, treinantes, e só nós sabemos o que isso significa.

sábado, 23 de fevereiro de 2013

baby center

Meninas,

O site americano que falei é o http://community.babycenter.com
Eu estou em um tópico que é o: http://community.babycenter.com/post/a39115819/february_march_april_ivf_fet_iui_icsi?cpg=49&csi=2411735539&pd=1

Caso queiram entrar no site, eis algumas siglas que "descobri":
marido        - DH
ginecologista - ER
aspiração      - egg retrieval
mestruação   - AF
anticoncepcional - BCP
FIV              - IVF
TEC             - FET
transf frescos - ET
negativo         - BFN
positivo          - BFP

E a sigla que mais gosto, e que em breve irei usar: PUPO, que seria um grávida até que prove o contrário. Após a trasferencia, no período de espera do beta, todas estão PUPO, até que prove o contrário. Fofo né?

Já mencionei que a grande maioria das meninas antes de inciar o tratamento entram com dois ciclos de anticoncepcional. Segundo a Dra Daniella, é uma prática mais usual lá porque as clínicas fecham aos domingos e feriados, e desta forma, os médicos têm mais controle e exatidão quanto às datas de aspiração e transferência. Pessoalmente, acredito que seja mais vantajoso, porque vc "zera" o organismo antes do tratamento. Não fosse a ansiedade à mil, eu sugeriria isso nesse tratamento.
De qualquer forma, como usarei o Lupron, estarei meio zerada. O protocolo delas, na maioria, é o longo. Usam o lupron por um tempo, na sequencia do anticoncepcional.

Depois, o procedimento delas é o mesmo que o nosso. Fazem o estímulo, aspiram, e fazem a FIV. ICSI só em casos graves de espermograma, o que então difere um pouco do nosso procedimento. Por aqui, me parece que apenas a minoria  dos médicos dispensa a ICSI e super ICSI.

Uma dúvida que eu sempre tive foi em relação aos congelados. Sempre achei que congelar poderia aumentar as chances de sucesso, mas não é consenso. Pelo contrário: nos EUA, assim como aqui, a preferência é pelos frescos, e congelam os sobressalentes ou se a mulher não apresentar endométrio satisfatório.

No caso de TEC, elas iniciam o ciclo preparatório com Lupron também. Como nunca fiz TEC, não saberia comparar com o Brasil.

Hoje recebemos uma noticia de uma delas, que no D5 após a transferencia (em torno do D20 do ciclo), já a positivou num clear blue. Elas fazem o beta no 8o dia após a transferencia, bem mais cedo do que nós!

Sobre os preparatórios, elas tomam: geléia real*, vitamina E, ácido fólico e coenzima Q10. Algumas recorrem ao DHEA. Uma dieta hiper protéica após a transferência e suco de raspberry.
* elas tem uma geléia real com mel, que tem gosto de mel mesmo. Eu não encontrei essa por aqui, encontrei apenas uma que é ruuuuuuimmm que dói.

O protocolo pós transferência é igual: um dia de repouso e atividades leves.

Quase como nós.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Começo da 3a FIV à vista

Hoje fui na Dra Daniella fazer o ultrassom. O corpo lúteo estava lá, grandão, mas ela me pediu uma dosagem de Progesterona e Estradiol na segunda feira mesmo assim. Voltei para casa com um kit do Lupron, e assim que receber o resultado da dosagem de segunda, ela me diz quando poderei iniciar com o bloqueador.
Viajamos na quarta cedo, voltamos no domingo. Ela disse que não tem problema caso eu mestrue lá, apenas manter ela informada e manter o Lupron na dosagem 10. Lá vou eu de férias, com minha geladeirinha à tiracolo- e toda feliz.
É bom demais ter um tratamento à vista. É uma esperança de que desta vez vai dar certo. E é isso que eu tenho que manter na mente, gerando o minimo de expectativas possível, mas me mantendo o máximo positiva possível.
Estou super ativa no blog das meninas americanas, aprendendo muito com elas. Em breve farei um post sobre isso.
Por hora é só. Um ótimo e positivo final de semana !

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

FIV nos EUA

Meninas,
Na semana passada fui almoçar com as minhas amigas do ef, e elas disseram que nos estados unidos as taxas de FIV sao mais altas do que as daqui. Uma coisa é sabida: lá, eles podem colocar quantos embrioes eles quiserem, mas quis saber o que eles podem estar fazendo de diferente de nós.

Descobri um site que tem fóruns de discussao com as meninas, igual ao nosso!!! Me adicionei e estou especulando o que elas podem fazer de diferente. Os protocolos sao muito parecidos, os remedios os mesmos, repouso... tudo.

Uma menina me contou que está tomando geléia real 2x ao dia, que isso melhora a qualidade dos óvulos. Kkkkkkk! Pra quem ela foi dizer isso!!! Já comprei minha geléia real, que deve ser super real, porque um potinho pequenininho foi 25 reais! Mas vambora!

O que mais me impressionou é que todas elas tomam anticoncepcional antes do ciclo. Nunca tinha ouvido falar nisso. Parece que aqui no Brasil tbm se usa isso, mas só em mulheres com SOP. Não foi o que me pareceu por lá, porque todas elas tomam o anticoncepcional antes da indução.

Metade faz a transferencia de frescos, a outra metade congela, como nós fazemos. Estava suspeita de que congelar poderia ajudar os nenéns a ficarem mais fortes, mas acho que não tem nada disso. Ainda vou perguntar para elas sobre os maridos, estou assuntando rsrsrsrsrsrs A verdade é que leio duas, tres páginas e já da tontura, porque é muita sigla desconhecida, é um tal de adivinhar pelo contexto.... affff cansa demais!! Entao estou lendo devagarinho os blogs, mas já aprendi a da geleia real.

Sexta terei consulta com a Dra, faremos um US para liberar o inicio do ciclo. Vou falar sobre a geleia real, o anticoncepcional e sobre o inhame. Comprei pacotes de inhame desidratado para me ajudar, ja que o chá achei intragavel.

bjsssss


domingo, 17 de fevereiro de 2013

Congresso

Muitas de voces devem ter recebido, mas acho importante divulgar, já que toda a informacao é sempre bem-vinda. Recebi da IPGO um email, onde o Dr Arnaldo, marketeiro que ele só, diz as novidades do ultimo congresso que ele foi. Que vai em praticamente todos, blablabla.... kkkkkkkk
O fato é que ele passou algumas informações importantes:


TESTE ERA: um novo exame para casais que tiveram falhas de implantação repetidas. Exame oferece novas perspectivas para mulheres que tiveram repetido insucesso nos tratamentos de fertilização in vitro.
NOVO EXAME: é um método de diagnóstico desenvolvido pela IVIOMICS, departamento de R&D, após mais de 10 anos de pesquisa, e patenteado pelo grupo IVI (Instituto Valenciano de Infertilidad – Espanha). O exame ERA consiste em avaliar a receptividade endometrial do ponto de vista molecular, como uma importante análise do fator uterino. Esta ferramenta molecular nos permite diagnosticar se o endométrio é receptivo ou não, analisando a expressão de um grupo de genes responsáveis por esta função. Para isso, uma biópsia endometrial deve ser feita no dia do ciclo menstrual (fase receptiva), no sétimo dia após o pico do hormônio LH, ou após 5 dias de uso da progesterona, em um ciclo estimulado (saiba mais em: http://www.ipgo.com.br/novos-exames-era/).
O que acabamos fazendo, no caso de falha de implantaçao,é partir para as vacinas, que sao desacreditadas no exterior. Para quem apresenta fala de implantação, essa novidade pode ajudar.

II. NONINVASIVE PRENATAL ANEUPLOIDY TESTING OF CHROMOSOMES 13, 18, 21, X, AND Y. M. Rabinowitz,a G. Gemelos,a M. Hill,a Z. Demko,a S. McAdoo,a B. Levy.b aNatera, Inc, San Carlos, CA; bPathology and Cell Biology, Columbia University, New York, NY.
NOVO EXAME: o NIPT (Non-Invasive Prenatal Testing – em português, Testes Pré-Natais Não-Invasivos) é um novo exame que analisa, pelo sangue materno, a saúde cromossômica do bebê em uma fase inicial de gestação. Tem o objetivo de obter células do DNA fetal para o diagnóstico de anomalias cromossômicas, a partir de 9 semanas de gestação, sem causar danos ao feto. O exame é feito no início da gravidez, quando algumas células do feto já passaram para o sangue da mãe. Nesta fase, retira-se uma pequena amostra de sangue da gestante e, a partir dela, é feita a comparação das cópias dos cromossomos estudados entre o feto, a mãe e o pai. Caso o bebê tenha três cromossomos em algum dos pares estudados (13, 18, 21, X e Y), os sinais serão evidentes para a conclusão diagnóstica. É diferente de outros testes já existentes, como a amniocentese e a biópsia do vilo Corial (CVS), por não ser invasivo e conseguir informações muito precisas das principais doenças cromossômicas, como a Síndrome de Down (Trissomia do cromossomo 21), a Síndrome de Patau (Trissomia do cromossomo13), a Síndrome de Edwards (Trissomia do cromossomo 18), a Síndrome de Klinefelter e a Monossomia do X, além de outras possíveis doenças cromosômicas (saiba mais em: http://www.ipgo.com.br/novos-exames-nipt-panoramatm/).
Esse, é dos meus. Nunca achei saudável fazer a CHG, a biopsia no embrião, antes da transferência. Acho que é como um bolo no forno... quanto mais a gente abrir, pior. Acho melhor fazer esse NIPT com 9 semanas de gestacao do que a biopsia embrionária.

III. A NOVEL OVARIAN STIMULATION PROTOCOL UTILIZING A COMBINATION OF TAMOXIFEN AND AROMATASE INHIBITION FOR FERTILITY PRESERVATION IN BREAST CANCER PATIENTS. M. Baker,a M. Cross,a J. Waisman,b K. Bendikson,a R. Paulson,a K. Chung.a aObstetrics & Gynecology, Division of Reproductive Endocrinology & Infertility, University of Southern California, Los Angeles, CA; bBreastlink Medical Group, Long Beach, CA.
Um protocolo de estimulação ovariana para pacientes con câncer de mama que desejam preservar a fertilidade. Combinando tamoxifeno com inibidores da aromatase, oferece bons resultados na quantidade do número de óvulos coletados e não interfere nos níveis hormonais que prejudicam a evolução doença (estradiol). Um ótimo avanço na preservação da fertilidade nas pacientes jovens com câncer de mama que desejam ter filhos (saiba mais em: http://www.ipgo.com.br/manual-da-preservacao-da-fertilidade-em-pacientes-com-cancer/).

IV. LYOPHILIZED AND REHYDRATED METAPHASE II (MII) OVINE CHROMOSOMES MAINTAIN FUNCTIONALITY UPON TRANSFER IN FRESH MII OOCYTES. L. Loi,a D. Iuso,a G. Ptak,a P. Patrizio,b A. Arav.c aDepartment of Comparative Biomedical Sciences, Faculty of Veterinary Medicine, Teramo, Italy; bDepartment of Obstetric, Gynecology & Reproductive Sciences, Yale Fertility Center, New Haven, CT; cCoredynamics, Nes Zyona, Israel.
Liofilização pode ser útil na preservação da fertilidade. Óvulos guardados em ampolas? (http://www.ipgo.com.br/bebes-guardados-em-ampolas-sera-este-o-futuro/).
Liofilização é um método que tem o objetivo de preservar a vitalidade das células pela retirada da água por sublimação do gelo. É um processo de secagem de uma substância congelada no qual a maior parte de água é removida, sem passar pelo estado líquido. Em simples palavras, essa técnica desidrata o tecido a tal ponto que ele se torna pó. O material liofilizado tem aparência porosa e pode ser reconstituído imediatamente à forma original pela adição de água, mantendo os constituintes originais. O tempo de vida útil é elevado se comparado a um produto não liofilizado. Este trabalho demonstrou que em bovinos é uma técnica viável e, no futuro, talvez possa der usada em humanos, para a preservação da fertilidade.
Legal né? Quase aquelas comidas desidratadas da NASA!! kkkkk

V. LEUKOCYTE TELOMERE LENGTH AND AGE AT MENOPAUSE. K. E. Gray,a M. A. Schiff,a A. L. Fitzpatrick,a J. R. Starr.b aEpidemiology, University of Washington, Seattle, WA; Center for Clinical and Translational Research, The Forsyth Institute, Cambridge, MA.
Os telômeros são estruturas constituídas por fileiras repetitivas de proteínas e DNA não codificante que formam as extremidades dos cromossomos. Sua principal função é manter a estabilidade estrutural do cromossomo. Cada vez que a célula se divide, os telômeros são ligeiramente encurtados. Como estes não se regeneram, chega a um ponto em que não permitem mais a correta replicação dos cromossomas, e a célula perde completa ou parcialmente a sua capacidade de divisão. O encurtamento dos telômeros também pode eliminar certos genes que são indispensáveis à sobrevivência da célula ou silenciar genes próximos. Os telômeros funcionam como um protetor para os cromossomas, assegurando que a informação genética (DNA) relevante seja perfeitamente copiada quando a célula se duplica. Eles também protegem os cromossomas, de uma forma geral, da degradação, da recombinação e da translocação robertsoniana.
São conhecidos como relógios biológicos, pelo fato de toda vez que a célula se duplica, duplicarem os cromossomos e ocorrer o encurtamento dos telômeros das celula. Sendo assim, teoricamente pode-se definir com exatidão a expectativa de vida de um ser vivo analisando quantos telômeros ainda restam em suas células. Este estudo correlacionou o tamanho do telômero com a idade em que a mulher entrou na menopausa e provou que mulheres com telômeros maiores entraram na menopausa cerca de 2,8 anos depois daquelas com mais curtos. Portanto, quanto menor o envelhecimento celular da mulher, maior será sua vida reprodutiva.


VI. INTRAMUSCULAR ADMINISTRATION OF PROGESTERONE FOR LUTEAL PHASE SUPPORT IN IVF CYCLE IMPROVEMAINTENANCE OF PREGNANCY FROM BIOCHEMICAL TOCLINICAL STATUS. S. Menard,a,b M. P. Velez,a,b R. Antaki,a,bI.-J. Kadoch.a,b aClinique de Fertilite OVO, Montreal, QC, Canada; bUniversitede Montreal, Montreal, QC, Canada.
A progesterona é um importante hormônio para o suporte de fase lútea nas pacientes submetidas à FIV. A administração da progesterona se inicia após a coleta dos óvulos e é mantida se confirmada à gravidez. Ela pode ser administrada via vaginal ou intramuscular e, pelo que sugere este estudo, existem algumas vantagens no uso intramuscular, como um discreto aumento na taxa de gravidez clínica. A progesterona IM 50 mg é usada rotineiramente no IPGO.
Estranho, porque tambem soube que existe a progesterona via oral tbm. Caso eu possa optar pela oral, eu prefiro, porque dispenso qualquer picada adicional!!

VII. VITAMIN D DEFICIENCY (VDd) AND IMMUNE PARAMETERS IN RECURRENT PREGNANCY LOSSES. K. Ota,a A. Han,a A. Gilman- Sachs,b B. Kenneth,b J. Kwak-Kim.a aReproductive Medicine, Rosalind Franklin University of Medicine and Scinece, Vernon Hills, IL; bDepartment of Micorbiology and Immunology, Rosalind Franklin University of Medicine and Scinece, North Chicago, IL.
A vitamina D tem um papel importante na resposta imune dos indivíduos e, conforme este estudo apresentado, a sua deficiência pode estar relacionada com alterações imunes em mulheres com abortos de repetição. Mulheres com deficiência de vitamina D apresentam maiores taxas de FAN positivo e presença de anticorpos antifosfolípides. Aumento dos níveis de células CD19 e CD56 também foram observados.
A dosagem do 25 OH, vitamina D e marcadores imunes fazem parte da investigação do casal infértil no IPGO (saiba mais em:http://www.ipgo.com.br/novos-tratamentos-melhoram-a-fertilidade-da-mulher-2/).
Vitamina D já é sabido por muitas.

VIII. DOES SEMEN CRYOPRESERVATION HAVE INFLUENCE ON EMBRYO KINETICS? L. Muela Garc_ıa,a M. Mart_ınez Morales,a B. GadeaNavaro,a I. P_erez Cano,a M. Mu~noz Cantero,a M. Meseguer Escriv_a.b aIVI Alicante, Alicante, Spain; bIVI Valencia, Valencia, Spain.
A criopreservação de sêmen é uma realidade tanto para o grupo de pacientes que utilizam bancos de sêmen para a realização da FIV quanto para o de homens que se utilizam da técnica para a preservação da fertilidade. Mas uma questão sempre levantada é se este sêmen criopreservado tem influência na qualidade do embrião que será formado a partir dele.
Este estudo do IVI, que utilizou o Embrioscópio (nova incubadora que possui uma câmera de vídeo acoplada ao sistema, que permite o acompanhamento do desenvolvimento dos embriões por um monitor de vídeo continuamente) para a avaliação dos embriões, mostrou não haver diferenças entre os embriões provenientes de sêmen criopreservado e os que se formaram a partir de sêmen fresco (saiba mais em http://www.ipgo.com.br/a-importancia-do-gene-fmr-1-menopausa-precoce-e-filhos-com-deficiencia-mental/).

IX. FMR1 GENE ALLELES IN INFERTILE WOMEN WITH PRIMARY OVARIAN INSUFFICIENCY, DIMINISHED OVARIAN RESERVE AND POOR RESPONSE TO OVARIAN STIMULATION. I. Streuli, S. Bouba, V. Gayet, C. Chapron, G. Viot, D. de Ziegler. Department of Obstetrics, Gynecology and Reproductive Medicine, APHP CHU Cochin, Universit e Paris Descartes, Paris Sorbonne Cit_e, Paris, France.
Este trabalho demonstra a importância do gene FMR-1 na falência ovariana, baixas respondedoras e crianças com retardo mental – já apresentado pelo IPGO (saiba mais em: http://www.ipgo.com.br/alteracao-genetica-causa-riscos-de-envelhecimento-prematuro-dos-ovarios-menopausa-precoce-e-possibilidade-de-filhos-com-retardo-mental-2/).

X. A NOVEL THERAPY WITH SITAGLIPTIN FOR METFORMININEFFECTIVE AGED ART REPEATERS: DRAMATICAL INCREASE IN PREGNANCY RATE BY DECREASING POSTPRANDIAL GLYCEMIC LEVELS AND ADVANCED GLYCATION END-PRODUCTS. M. Jinno,a M. Takeuchi,b A. Watanabe,a J. Hirohama,a R. Hiura,a N. Suciu.c aWomen’s Clinic Jinno, Choufu City, Tokyo, Japan; bDepartment ofAdvanced Medicine, Medical Research Institute, Kanazawa Medical University, Kahoku, Ishikawa, Japan; cDepartment of Obstetrics and Gynecology, Polizu Maternity Hospital, Bucharest, Romania.
Sitagliptina é uma medicação que está disponível também no Brasil e pode ser outra alternativa no tratamento dos ovários policísticos quando a paciente tiver exames de sangue que demonstram resistência a insulina (saiba mais em: http://www.ipgo.com.br/sop-sindrome-dos-ovarios-policisticos/).

XI. THE EFFECT OF EXOGENOUS TESTOSTERONE ON SMALL ANTRAL FOLLICLE COUNT IN PATIENTS UNDERGOING ASSISTED REPRODUCTION. M. V. Homer,a K. Maas,a V. G. Garzo,b H. I. Su,a D. Conway.a aReproductive Medicine, University of California, San Diego, San Diego, CA; bReproductive Partners, UCSD Regional Fertility Center, La Jolla, CA.
A testosterone gel usada antes do início dos tratamentos de fertilização in vitro em pacientes baixas respondedoras tem sido uma opção no IPGO e em várias clínicas do mundo, pois tem demonstrado um aumento na taxa de sucesso nestes casos. Este trabalho teve o objetivo de verificar se a testosterone aumentaria o número dos folículos primordiais e isto seria também uma vantagem. Entretanto, este pequeno tra balho provou que isso não ocorre (saiba mais em: http://www.ipgo.com.br/prorrogando-e-preservando-a-vida-fertil-da-mulher-e-do-homem/).

Legal né? Embora não passe de uma simples ação de marketing, obrigada, Dr Arnaldo pelas informações!! Super interessante, continue sim indo aos congressos e me mantenha informada! rsrsrsrsrs

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

segredo

Oi meninas!!!

Na semana passada aconteceu uma coisa que mexeu comigo... Uma amiga que iniciaria o tratamento no mês que vem me contou que já tinha feito duas vezes o tto; De certa forma, senti que ela mentiu para mim, e isso dói. Mas depois parei para pensar... e cheguei à tantas conclusões.

A primeira delas, é que 110% das pessoas entram nesse barco furado achando que vai ser bem mais fácil do que realmente é. Acham que seu problema é pequeno, e logo a solução chegará. Dessa forma, acreditam que um tratamento deverá resolver o seu caso. E portanto, é coisa rápida. A parte ruim disso é que não há o preparo psicológico ao qual o casal deveria estar preparado. O primeiro negativo a gente nunca esquece...

Outra coisa: de um lado ou de outro, fazer tratamento, assumir que precisa de ajuda é socialmente inaceitavel. A sociedade espera que sejamos perfeitos, coelhos, capazes de ter 11 filhos, espontâneamente. Isso, claro, com base nos  N casais que conhecemos que falam na maior cara lavada: "engravidamos sem querer". E isso acontece direto, embora todo mundo saiba que eles ralaram, que fizeram N tratamentos, que desejavam esse filho(a) há anos.

Uma coisa que fica na minha cabeça é pensar que essa minha amiga, caso tivesse ficado gravida na primeira tentativa (sim, pode acontecer), teria ela a cara (e falta de coração) de me dizer "engravidamos sem querer"?  Sabendo da nossa historia, do meu coração, de todo o meu esforço... teria ela coragem de me olhar nos olhos e mentir sobre o assunto que mais me machuca?? Essa dúvida vai sempre pairar sobre a nossa amizade.

Mas acho que o mais importante disso tudo é perceber que MUITO mais gente do que a gente imagina tem dificuldade para engravidar. Muito mais do que casar tarde, me parece ser uma epidemia dessa geração. As amigas casadas não conseguem engravidar sozinhas. Me questiono sobre as que engravidaram "sem querer", sabia?

Me colocando no lugar dela, senti muita pena. Eu sei o que é passar por tudo o que ela passou. Sofri e sofro muito, mas hoje tenho ferramentas para lidar com tudo isso. Tenho amigas que passam por isso e conversamos abertamente. Tenho o blog, onde posso escrever sobre o que sinto. Minha família sabe, embora saibam cada vez menos. (Eles não entendem, não compreendem, julgam. Esse assunto é outro). Converso muito com o marido, mas ele não tem estrutura para ouvir tudo, o homem se julga menos másculo quando não pode dar um filho para a mulher que ama. Fora tudo isso, estudo sobre o assunto, e troco muitas informacoes com as meninas do e-family. No caso deles, se realmente foi um segredo que ficou apenas entre eles, imagino o quanto eles sofreram como casal. Não é para qualquer um segurar essa barra.

Quando contei para o maridão sobre toda a história, ele achou que de certa forma, eles agiram certo, e ele achou que quando ficarmos gravidos, ele vai negar que fizemos tratamento. me questiono até que ponto fazer segredo é se proteger ou privar o outro de uma informação que poderá ajudar. Com o tratamento á vista, vou pensar seriamente sobre como lidaremos com o assunto dessa vez.


segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

FIV à vista!!!

Acabo de voltar da consulta com a Dra Daniella. Ela é uma pessoa especial, e sou muito grata à Coragem, minha amiga do e-family quem me indicou ela.
Ela tinha me pedido N exames, e falou que alguma peça não estava encaixando no nosso quebra-cabeça. Com os exames em mãos, a conclusão que ela chegou (triste conclusão) é que estou entrando numa fase que antecede a menopausa. Ela disse que isso é comprovado pela minha queda repentina do mileriano (em 2 anos, de 3,28 para 1,5) e pelo aumento do FSH, formonio folículo estimulante.
10 anos antes da mulher entrar na menopausa, o corpo começa a sofrer alterações, e a queda da qualidade dos óvulos é a primeira delas. Felizmente, ainda sou nova (31), mas o que ela nos falou, basicamente: tic-tac.
Claaaaro que os peixinhos do maridão não são nenhuma brastemp, e isso colabora, mas ela acha que a colaboração do óvulo na qualidade do embrião é maior que do espermatozoide. E que o muleriano é irreversível, e que podemos tentar dar uma forcinha para os óvulos (coenzima e DHEA), mas que é um processo natural e irreversível. Daqui pra frente, meus óvulos estarão cada vez piores.
A boa notícia disso tudo é que o espermograma do maridão deu um super up. se mantiver assim, não será necessária a super ICSI! E conversei com ela tambem sobre a ICSI, já que tenho óvulos ruins, seria melhor se os espermatozoides entrassem sozinhos, mas daí isso vai depender do maridão, se o peixinhos estarão bem no dia da fertilização. se estiverem, ela vai dispensar o super ICSI, e a propria ICSI.
Na última FIV, muitos óvulos não apresentavam resistencia quando furados, e acho que poderiamos ter melhores resultados se fossem menos manipulados. Ela tambem falou da CGH, a biopsia dos embriões. Assim, de cara, não sou a favor. Tenho tão poucos, e tão frágeis! Nao sei se eu mexeria neles... mas olha que fofa: "thais, temos que ser otimistas!! Serão vários e bonitos!!" Fofa demais.
E sobre o protocolo, ela pretende fazer o protocolo longo, já que nunca tentei ele. E com o lupron, que tbm nunca tomei. Fugiremos de tudo que ja tentamos e deu errado.
Meu beta será para o fim de março. Haja coração!!!

O Má já queria cancelar a nossa viagem, mas ela não ve problemas em comecar o tratamento lá. Pelo contrário, ela acha que a viagem poderá nos ajudar a relaxar um pouco. Assim que a M descer (minha TPM tá daquele jeito), ligo lá, confirmo se ovulei, e então no dia 19 a 21 comeco com um bloqueador. Depois de mestruar, então a indução, e daí procedimento normal: estimulacao, aspiração e se o edométrio colaborar, partimos para a transferencia por volta do dia 16/março, pertinho do aniversário do Má (sérá um presente de D'us dessa vez??), e beta para o fim do mês.

Uma outra coisa que ela falou foi sobre as minhas trompas, que estão desobstruídas, mas ela achou que estão esticadas demais. Que ela acha que nosso caso é mesmo FIV.

Agora é isso..... Esperar o dia após dia, para começar o passo a passo, lembrando que cada dia é sempre uma vitória. Tomara D'us que esse seja o início do meu último tratamento, e que dele eu saia com filhos saudáveis.

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Exames II

Conforme prometi...
segue a relação dos exames (de sangue) que já fiz. Acho importante divulgar os nomes, para que a gente possa "cobrar" do médico. A Dra Daniella me pediu exames novos, o que eu acho um absurdo, sabe? A essa altura do campeonato eu ainda não fiz todos os exames...
Minha vontade era de pedir o cardápio do laboratório e assinalar um pedido com todos... mas infelizmente não cabe à mim.
bem, segue:

Nome dos exames
anti HIV
 Anticporpos anti fosfatidil etanolamina aFE IgA
 Anticporpos anti fosfatidil etanolamina aFE IgG
 Anticporpos anti fosfatidil etanolamina aFEIgM
25 OH Vitamina D
ácido úrico
anti HTLV I/II
Anti mulleriano
anti TG
anti TPO
anticoagulante lupico
Anticorpos anti tireoglobulina
Anticorpos antir peroxidase tireoidiana
anticorpos irregulares
Anticporpos anti fosfatidil serina AFS IgA
Anticporpos anti fosfatidil serina AFS IgG
Anticporpos anti fosfatidil serina AFS IgM
Anticporpos anticariolipina ACL IgA
Anticporpos anticariolipina ACL IgG
Anticporpos anticariolipina ACL IgM
antitrombina
Bacteroscopico secrecao vaginal
CA 125
CA 15-3
CA 19-9
cariotipo banda G
CEA
Citomegalovirus IgG
Citomegalovirus IgM
Clamydia
Colesterol total
cortisol 16 horas
cortisol 8 horas
Cross match após 3a dose linf B
Cross match após 3a dose linf T
cross match linfocito B
cross match linfocito T
DHEA - s
E2
Estradiol D3
Fan
Fator V de leiden
FSH
FSH D3
Glicose
Gonorrea
HDL colesterol
Hemoglobina Glicada
hepatite A
Hepatite B
Hepatite C
Homa ir
homocisteina
Insulina de jejum
insulina jejum
LDL colesterol
Lh
LH D3
Mutacao MTHFR
NK sangue CD3-CD16+CD56+
NK sangue CD3-CD16+CD56+
Nk sangue linfocitos totais
PRL
progesterona D3
prolactina
protecina c coagulacao
proteina S livre
Protombina
Rubeola IgG
SHBG Globulina ligadora de horm. Sexuais
Sifilis
T4 livre
testostarona total
testosterona biodisponivel
Testosterona livre D3
Tiiodotironina T3
tiroxina livre T4L
TMPA Treponemicos
Toxoplasmose
Triglicerides
Triodontina T3
TSH
TSH
VDRL

Lembrando que esses são os exames de sangue.

Podem nos ajudar a dar pistas. Uma coisa MUITO triste que me aconteceu foi o meu mileriano, que mostra o meu "estoque"de óvulos. Em maio/11, eu tinha 3,28. Em jan/13, caiu para 1,5. Mais que a metade, e ainda tenho que dar graças de TER um estoque. Mulheres jovens estão com cada vez menos estoque, e 1,5 ainda está na média, então... controlar o desespero, porque enquanto houverem óvulos.... há esperanças!

E uma noticia muito fofa é que esse blog está quase completando mil visualizações. Jamais imaginei isso quando o criei; Era um desabafo misto com uma forma de dividir minha história com mulheres na mesma situação. Mas vejo que somos muitas. Recebo alguns emails privados, e são poucas as que fazem comentários. Espero em breve comemorar as mil leituras, assim como muitos positivos.

Um beijo de quem não vê a hora da consulta chegar logoooooooooooo!! rsrsrsrsrsrs