terça-feira, 27 de novembro de 2012

Tempinho


Passando para dar notícias...

Estamos sem fazer nenhum tratamento. na verdade, até as vitaminas eu parei. cansei de tudo num ponto, e entrei em uma que acho que é uma baita fria. Lá no fundinho, acredito que vou engravidar, como que por um milagre.
Se formos analisar, não temos nenhum impedimento grave. O espermograma do Má é sofrido, mas dá pro gasto. E num ciclo sem indução, espera-se que meus óvulos sejam de qualidade, visto que ainda são abundantes.
Tinha comprado de uma amiga do e-family o DHEA, mas nem cheguei a tomar. Ele poderia me ajudar na qualidade dos óvulos, mas acho que por hora as forças acabaram. Mas o sonho permanece...

Às vezes, converso com uma amiga, que vai iniciar a FIV dela no ano que vem. Tão animada, queria tanto ter aquele empenho, aquela certeza de que vai dar certo. Não é pessimismo, é que ja levei tanto não na cabeça!!! Mas sei que não posso me dar ao luxo de esperar mais dois, tres anos para tomar alguma atitude. Tic-tac. Tic-tac. Tic-tac. Maldito relógio biológico! Aos 18 anos, tinha tanto medo de engravidar e agora... isso.
Mas não vou tocar no assunto "filho" ou "tratamento" por um tempo ainda. O Márcio precisa desse tempo.

Enquanto isso, saímos, damos risada, nos divertimos. Sim, ainda temos amigos solteiros, e casais sem filhos. Graças a D'us!! rsrsrsrsrsrs

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Nelore


Oi meninas.
Me desculpem o sumiço... Não que eu tenha muitas leitoras ou seguidoras, mas sei que muuuuitas mulheres por aí sentem e vivem o que eu vivo, e por isso sei que é importante postar sempre. Mas não pude. Não consegui. A verdade, é que não aguentei.

Esse ano está quase acabando, e o que eu fiz foi lutar pelo sonho de ter o nosso bebê. Mas acho que acabei me perdendo no caminho. Até junho, foram N exames na RDO, depois a FIV TEC na Fertivitro, depois Dr Arnaldo, e mais mil indicações de GOs em SP. Esse foi meu ano.

Lidamos com nãos, frustrações, decepções, sonhos perdidos.

Eu estava super focada, e acho que acabei não percebendo o maridão. A verdade - vamos combinar - é que para a mulher é super difícil. Hormônios, remédios, kilos a mais, repouso, ansiedade a mil. Mas a gente estoura, fala, chora, monta um blog, entra nos sites, faz terapia de grupo. E eles? Eles pagam e se calam. No dia certo, enchem o potinho.

Como o Má é do tipo que se cala, e quem cala consente, pensei somente na minha dor, nos meus sonhos desfeitos, na minha infatisfação e decepcao com tudo isso. E isso nos afastou como casal, tão pouco a pouco que nem percebi quando começou. Mas estávamos cada vez mais distantes, quando ele, numa conversa, admitiu se sentir um Nelore reprodutor.

Tosco o exemplo, mas palavras dele. Ele se sentiu tão de lado que para ele o filho seria do processo, e não fruto do nosso amor, dele e de mim, ou sequer da virilidade dele. Mente de homem é complexa.

Parei. Parei com tudo. Comecei desmarcando os GOs todos que tinha marcado.... fui falando menos, e querem saber? pensando menos também. Nunca imaginei que isso seria possível. A gavetinha que tenho no quarto ao lado, com uma roupinha e um brinquedo, que abria 10x ao dia, deve fazer uma semana que nao passo por lá.

Me enfiei no trabalho - verdade - mas também resgatei a Thaís de antigamente. Tanta frustração tirou meu brilho. Estou me resgatando, e com isso, resgatando o casamento e meu marido deixando de ser meu Nelore querido.

Parei com as vitaminas, mantive a dieta gluten e lactose. Fechei um pacote numa clinica de estetica, estou malhando super - o verão tá aí!

Meu bebê não foi, de jeito algum, colocado de lado. Projeto maternidade não foi cancelado ou arquivado. Apenas tenho que me fortalecer e fortalecer meu marido e casamento. Ainda nao tenho datas para sonhar, ou planejar. Mas tenho coisas mais urgentes para cuidar, e com fé em D'us, bem tão bom , querido e amado D'us, o nosso dia vai chegar.

Para quem está fazendo os tratamentos, fica a minha dica.... fiquem atentas aos maridos...

Beijos!!