segunda-feira, 19 de junho de 2017

O barbeiro

Estamos chegando no final do mes 6.
Significa portanto que estamos em breve na segunda metade do ano. Nao sei se vcs tem essa impressao, mas quando comeca agosto o ano acaba. O segundo semestre em casa é sempre bastante corrido.
O que é bom, de certa forma.

Espero que tudo o que não aconteceu nesse primeiro semestre se resolva no segundo semestre.
deus do ceu... nesse feriado fomos para a praia e eu estava pensando sozinha...
Sera que no fim do ano, quando estivermos na praia, ja teremos avancado em relacao a nossa mudanca para os estados unidos?
Esta tudo absolutamente igual a fevereiro.
Não avancamos em nada.
nada mudou.

Houve algum progresso em relacao ao amadurecimento? Sim, claro, sempre há. mas nada efetivo ou concreto. E isso gera inevitavelmente uma certa decepcao, um gosto amargo na boca. O tempo passou, Thais, e o que vc fez? Nadaaaaaa.

O tempo, sempre o tempo. Quando queremos que ele passe, ele fica estagnado. E dai, la na frente, ele fica fazendo aquele tictac irritante dizendo que nao ha mais tempo. O tempo cura tudo, resolve tudo, mas tambem estraga tudo. Sera que um dia terei a maturidade para lidar com ele?? Minha avo me disse que a maturidade vai me ensinar que tudo tem o seu tempo, e lutar contra o tempo é....perda de tempo.
Ai ai

Na praia conversei com uma menina linda. Ela é linda, de uma familia mais linda ainda. Daqueles presentes que D'us nos da, sabe?
São fisicamente lindas. Aquelas loiras clarissimas do parana, sabe? Mas quando abrem a boca- e o coracao, vc ve a beleza delas. Foi otimo poder ter tido aquela conversa com ela.

A mãe dela é pastora de uma igreja evangelica no ABC. E a mãe sempre reza para as pessoas que precisam, esta sempre ali para ajudar. E essa filha sempre acompanha a mae. E comentei com ela como eu estava cansada e esgotada, como eu havia parado de ajudar as pessoas como antes fazia. Que de tanto doar, eu tinha me esgotado e sentia que aquilo estava me fazendo muito mal. Eu estava sofrendo a dor dos outros. Como ela e a mãe faziam?
Como elas conseguiam ajudar os outros, e entrar em casa sem o problema deles???

Então ela me contou que elas ja tiveram esse problema tambem. Mas elas sao apenas instrumentos de D'us. Ele quem resolve os problemas. Ele quem acalma, quem ajuda. Elas sao apenas instrumentos, objetos, apenas levam a palavra Dele. Que o problema é do outro, a dor é do outro. Ela se compadece, mas não divide a dor.

Dai contei de uma amiga que havia brigado com D'us. Como ajudar alguem que brigou com D'us?? E ela me contou essa historia.... espero que gostem.

Havia um barbeiro na cidade que não acreditava em D'us.
E um cliente, extremamente fiel e grato a D'us.

E todas as quintas feiras, o cliente sentava para fazer a barba, cabelo e bigode com o barbeiro. E conversavam. E o barbeiro sempre desafiava o cliente.
Se tem D'us, porque existem pessoas ricas e pobres?
Porque D'us deixa criancas morrerem?
Porque D'us deixa que pessoas inocentes morram?
porque há guerras?
o cliente então respondia que D'us era amor. Que tudo o que vinha Dele era bom, que Ele era pai e amava cada um de nós, desejando sempre o bem, torcendo e nos abencoando.
Aquilo não fazia sentido para o barbeiro, que sempre concluia que não havia D'us. Houvesse D'us, seria apenas amor. Se havia dor, sofrimento e mortes, portanto não havia D'us.

E aquela discussao se estendia semana apos semana, ate que numa quinta feira, o cliente chegou na barbearia trazendo consigo um mendigo maltrapilho. Cabelo imenso, sujo, barba por fazer.
e declarou para o amigo:

não há barbeiro.

Houvesse algum barbeiro, esse homem não estaria assim.
....



Boa semanaaaaaaaa



segunda-feira, 12 de junho de 2017

Novos amiguinhos e o fim das sonecas

Acho que nao estou nos meus melhores dias.
E peço desculpas por isso.
Sei da importancia do blog, da "enciclopedia" como diz a Ci e mari. Ando sonhando muito com a mudanca, me questionando o porque dessa vontade descabida, e me questionando se realmente é esse o caminho a seguir. É como ouvir uma voz no fundo da alma que diz: vai, thais, vai.
Essa é a unica explicacao que consigo dar.

Estamos quase no final do semestre. Metade do ano se passou. Bia gosta da escola nova, da professora, das novas amigas. Ela tem como costume uma unica e exclusiva BFF. Eu tbm era assim, e exatamente por conta disso eu me preocupo com ela. No primeiro ano, ela foi separada da Sophia, mas a amizade permaneceu. Linda amizade inclusive. Os pais da Soph sao amigos que eu levarei para sempre, pessoas do bem, de valor, uns queridissimos. Com a separacao da Sophia, a Bia então fez uma nova BFF, a Nicole. E dia desses a Nick ia viajar, e faltou.
-Bia, com quem vc brincou hoje?
-Com ninguem, a Nick nao foi.

O QUE???

Claroooo que nem sempre o "nao brinquei com ninguem" quer dizer ninguem, mas nao gostei do que escutei. Marquei uma reuniao com a professora, agitei meus palitinhos e comecei a agitar a vidinha social da minha pequena.
Uma amiguinha por sexta feira, sempre uma amiga nova. PROIBIDO repetir amigas e amigas que ja vieram. E ela aos poucos esta fazendo as novas amizades, embora ainda exista uma dependencia mto grande das amigas dela.
Ja vieram algumas amigas - e amigos aqui, e esta sendo bem legal.

E por falar em amigos.....kkkkk

Embora sempre tenha sonhado em ser mae, eu nao tenho criancas na familia. Primos, sobrinhos, ninguem. Apenas a Be. E ela quis trazer o Dudu, que é um querido. E a mae deixou ele aqui, e ele estava super bem, quando com a maior naturalidade do mundo ele me avisa:
Tia, quero fazer xixi.

COMO MENINOS DE 3 ANOS FAZEM XIXI???????

Geleiiiiii porque nao fazia ideia de como ajuda-lo. Precisava ajuda-lo??
pedi ajuda para a minha empregada, que tem menino, e ela ate hj rola de rir da minha reacao.
Achava que depois de fazer xixi tinha que enxugar a pontinha do pipi com papel, mas ela e o dudu falaram que uma simples chacoalhada bastava.

Aprendi mais uma....

Bem, e então bia esta nessa fase deliciosa de trazer amiguinhos para brincar. Eles voltam da escola, almocam aqui, e vao para o quarto da Bia. Eles querem explorar os brinquedos novos da amiga, que esta aos poucos aprendendo a dividir. Brincam de tudo ao mesmo tempo. As vezes brincam sozinhas, as vezes juntas. Espalham os brinquedos pela casa, pela sala, vao se divertindo. Dai chega uma hora que comecam a discutir. intervenho e ofereco um lanche. Um suco, pao de queijo, um bolo. E elas saem da mesa de bom humor novamente, e ainda brincam um tanto ate a mae vir buscar. Algumas vezes a baba quem vem, as vezes fica. Cada crianca com uma maneira.

Mas estou conseguindo mostrar a Bia que ela pode ser amiga de outras criancas, que pode se divertir com novas amizades, e fazer novas amizades.

Em poucos dias as ferias comecam e meu plano de "novos amigos, antigos amigos continua". Ja agitei um encontro nas ferias dos amigos da escola antiga.

Aproveito para contar que a Bia foi a ultima a parar de dormir apos o almoco. Ela fica muito cansada depois da escola, sempre ficou. A escola dela é das 7:45 as 12:15. Depois ela almoca e as 14:00 eu busco ela, segundas e quartas para o esporte.
Quando eu ia buscar, ela sempre se queixava que não queria mais dormir. Que as amigas ja nao dormiam, e por isso ela nao queria mais dormir. Queria ficar acordada com o restante das amigas, e assim fizemos. Ela parou de dormir com 3 anos e meio, porque queria ficar com as amigas. O sono ela tem ainda. Mas não quer perder minutos sagrados de brincadeiras e diversao.

Hoje mesmo, segunda, ela fez o ballet, esporte e a natacao. É uma maratona. E depois de tanta agitacao, entrou no carro, a caminho de casa, e capotou, as 17:30. ja estava de banho tomado, trocada, alimentada. Segue ate amanha, as 6:30, para recuperar o sono perdido do fim de semana, que ela ja nao dorme mais as tardes.

Essa fase dela é deliciosa, emboras bastante cansativa. Ela ja sabe brincar, negociar, explicar, conversar. Ja é a segunda vez que isso acontece, sempre as segundas feiras.

Vou aproveitar esses momentos de quietude em casa... colocar um filme e curtir o dia dos namorados. Tinhamos nos preparado para comer um sushi, mas nao teremos como sair. Vamos deixar a Bia na cama e vamos aproveitar a chance de assistir algo interessante na tv.  E tentar viver e curtir esses pequenos presentes que a vida nos da. Um momento a dois no dia dos namorados.




segunda-feira, 29 de maio de 2017

Como lidar com as tragedias??

Preciso de ajuda.
Sabiam que cada post é lido por 500, as vezes 1.000 pessoas? Será que alguem de vcs que me lêem  pode me ajudar???

Estou sempre aqui. Compartilho da dor da luta, do desejo de engravidar, das investigacoes, exames, dos porques. Tambem compartilho dos positivos, e a alegria me transborda. Mas inevitavelmente, aparecem tragedias.

E não estou sabendo como lidar com elas. Acabo compartilhando delas. Sofro com elas. Voces nao imaginam como eu sofro!!!
Tem noites que eu choro, choro, choro, como se o meu choro pudesse aplacar a dor de quem esta passando pelas dificuldades.
A historia da Amanda mexeu muito comigo. Depois ouvi outra historia, de um bebe que enroscou no cordao. Depois uma funcionaria nossa, muito querida... Num exame de rotina ela descobriu que a bebe linda e amada dela não formou o cerebro. Deve nascer e morrer, porque o cerebro quem comanda os orgaos vitais... E ela esta gestando essa bebe tao amada, e esse luto.
Porque, meu Deus, porque?????

E vendo lacinhos e uma cliente veio em casa. poucas vem. Mas essa quis vir.
Chegou super barriguda. Linda, alegre. Comprou os lacinhos amarelos, dizia que amarelo era a cor da felicidade. "Ja viu alguem ver algo amarelo e não sorrir?" A bebe dela faleceu, dez dias apos nascida.

PORQUE????


E vejo minha filha, com saude. E tenho medo.
Medo das desgracas que escuto, tao proximas a mim.
medo de perder minha filha. como esses relatos horrorosos que vivencio com tanta frequencia. Ando com medo da estrada. Medo de acidente. Medo medo medo.

NAO ESTOU MAIS SABENDO LIDAR COM TUDO ISSO.

Tenho medo que algo aconteca com a Bia.

Vivo essas dores dessas pessoas e não sei como separar a dor do outro da minha dor.

Como fazer? Como lidar, me proteger, me ajudar?


quinta-feira, 25 de maio de 2017

Fortalecendo as asas

Esses dias estamos atravessando momentos de muita instabilidade.
Nossa politica parece um puteiro e nosso jornal parece comedia.
Dias dificeis esses que estamos atravessando com delacoes, impeachement, sai presidente, entra vice... agora se sai vice, entra quem? E enquanto isso vamos escutando relatos nas delacoes premiadas que nos chamam em letras garrafais de idiotas.
Nos somos os idiotas que os elegeram...
Somos os idiotas que pagam os impostos...
Somos os idiotas que amarguram em filas de hospitais e escolas decadentes, enquanto escutamos em videos que a  jornalista de tv, Esposa do milionario, não sabe o preço do litro da gasolina.
I.D.I.O.T.A.
É como eu venho me sentindo.
Eu e milhares de brasileiros.
E a economia congelada.
Ninguem compra, ninguem vende. Ninguem investe. Ninguem sabe o dia de amanha, essa é a verdade. Então estão todos os idiotas parados, aguardando as proximas delacoes, as proximas verdades absurdas serem escancaradas.
Mas a vida não para.
Podemos passar o dia sentadas no sofa, sem nada acontecer, que a vida vai passar. Um dia a menos para vc ser feliz, um dia a menos para voce realizar seus sonhos.

E não ha um dia em que eu não pense em me mudar.
E não ha um dia em que eu me sinta mais proxima do meus planos, dos meus sonhos.
Sinto, inclusive, que a cada dia que passa eu estou é mais distante.
Dificil controlar o desanimo.

Hoje me questionei se é mesmo isso que quero.
Me lembro quando queria me mudar de casa. Dirigia por sao paulo olhando os predios, namorando a minha possivel casa nova. E me mudei.
Mas nossa, levou anosssssss

Porque sou assim, intensa?
Porque falo para as pessoas dos meus sonhos e planos?
Porque não consigo ser como todo mundo, blasé?

Porque viver com tanta intensidade?
Como se faz para se mudar internamente?
Sera que consigo so viver a mudanca quando ela de fato acontecer? Como faço para ser assim???

Hoje li a resposta que a Dona possibilidades me escreveu, no post das mudancas. Que se as raizes estão sumindo, esta na hora de fortalecer as asas. Me sinto exatamente assim: pronta para um vôo muito mais longo que as minhas asas podem me levar.
Fortalecer as asas...

Tenho um sonho. Protejo o sonho. Sou uma realizadora de sonhos. Basta me manter animada e não deixar esse desanimo geral tomar conta de mim. Para frente, animo. D'us nao coloca nos nossos corações desejos que não podemos realizar.

terça-feira, 4 de abril de 2017

Controlando a ansiedade

Angustiada com o tempo que nao passa.
Ansiosa.
As vezes fazemos planos, e tudo leva tempo.
De nada adianta me mudar agora. Nem da para ir agora.
Precisamos arrumar muuuitas coisas antes.
Mas ja quero estar la.
Vontade de fechar os olhos e so acordar quando o sonho estiver realizado.
Mas dai me lembro que a grande magia da vida é viver a espera.
É fazer limonada com os limões.
A conquista é boa, mas é a lembranca do caminho que fica.
Que no molda, que nos marca, que nos faz crescer e aprender.
E estamos na vida para aprender, evoluir.
E abrir os olhos com tudo resolvido nao se evolui nem se aprende nada.
Só ralando que aprendemos.

Ansiosa demais.
Mas tentando controlar essa ansiedade, que so faz aumentar o peso da balança.
E focando na espera.
Esses dois anos que tenho pela frente (prazo aproximado que nos colocamos) preciso viver e ser feliz. Como disse a diretora da antiga escola da Bia, este sera o ultimo ano, mas o MELHOR ano da vida de voces. E ela cumpriu a promessa. Foi mesmo.
Tenho que me inspirar naquela mulher incrivel que a vida me apresentou e fazer desses dois anos os mais incriveis. Serão nossa despedida.
Dois anos passam rapido demais, quando não se esta esperando. Passam rapido demais quando se esta vivendo.
Bora viver.
Bora sorrir.
Bora ser feliz.

terça-feira, 21 de março de 2017

Mudança

Minhas cordinhas que me prendem aqui estão se rompendo. Pela primeira vez na vida, eu quero ir embora desse pais que eu amo. Tenho muito carinho pelo meu pais, minha terra. Meus tataravos vieram para cá com a roupa do corpo e coragem. E construiram uma familia a qual pertenco e me orgulho. E quatro geracoes depois, sinto que ja nao pertenco mais.
Que ja nao consigo mais.
Cheguei no meu limite.
Custo de vida altissimo.
Corrupcao.
Ladroeira.
Imunidade.
Violencia.

Quando saio com Beatriz, fico numa tensão absurda. Desde pequena, coloco o cinto de seguranca no carrinho com medo que me roubem ela.
E quando estamos numa loja, sempre fico longe da porta. Morro de medo que me roubem ela.
Medo de assalto. Saio sempre com os vidros fechados.
Gostaria de poder sair mais a pe.
De deixar Beatriz correr no parque.

Minha avo morreu. Me resta apenas uma avo, que me diz que se ela ainda fosse jovem, ia embora daqui.

Todos os paises tem seus problemas. Não existe pais perfeito. A europa esta complicadissima com os ataques terroristas.
Israel, nem se fala.
Estados Unidos com o Trump.
Mas o Brasil está me perdendo. Cansada demais.

Vamos nos mudar daqui a alguns anos. Precisamos organizar a casa antes, dispor de dinheiro para essa mudanca, nos planejar certinho. E nessa nova fase, pela primeira vez na vida, eu não quero mais engravidar. estranho dizer isso.
Obvio que quero ter mais filhos. Meu sonho sempre foram tres filhos.
Mas nesse momento, cada vez que vou comprar um par de sapatos, penso que sera um par a mais na mudanca. Estou numa fase em que estou me desfazendo das coisas. Reduzindo minha bagagem.
E engravidar agora não estaria nos planos.

E sou inundada por um sentimento estranhissimo... de que Beatriz me basta. E que sou feliz com ela. Eu, ela, o pai e a cachorra. Nossa familia esta completa.

E nao ha um dia sequer que eu não sonhe com a nossa mudança. Nesse sabado peguei na netflix o filme "o segredo". A ultima vez que eu assiti foi quando eu queria engravidar. E acordava todas as manhas e agradecia por estar gravida, antes de estar. Me lembro de quantas vezes no dia eu era invadida pela alegria, e acariciava a minha barriga, antes mesmo de iniciar o ultimo tratamento.

Fiz minha lista. estou acreditando. Estou pedindo para a lei da atracao.

Que tudo o que for bom aconteca.

quarta-feira, 8 de março de 2017

Dentista observacoes

Fiquei arrasada com a historia da dentista.
No fim, acabei levando-a apenas porque tinha batido o dente.
Em julho, quando ela estava com 2 anos e meio, ela ainda não tinha os dentes do fundo (molares, acho).
Em seis meses os dentes nasceram e carearam. Muito rapido não?

Vamos aos fatos:

MAMADEIRA
A ultima mamada é uma mão na roda. Bebe mama, dorme sozinho - uhuuuu - e podemos fazer algo, ou ate mesmo dormir. E não ha mal nenhum nisso. A mamadeira para dormir nao te torna menos mãe, mas acho importante colocar uma data limite para essa mamadeira. 2 anos seria interessante. 2 anos e meio data limite.
A partir dessa idade, escovar os dentes antes de dormir.
Bia tomou ate tres anos.

ESCOVAÇÅO
A escovação é importante desde as primeiras serrinhas para se criar o habito. No inicio, dedeira, que ajuda a massagear as gengivinhas que estão coçando.
Os dentes que estao sujeitos a mais caries sao os dentes do fundo, como os molares, pois tem uma superficie maior e muitas vezes com sulcos, como é o caso dos dentes da be.
Então, a crianca com 2 anos e meio, com essa dentiçao completa, ja deve usar fio dental todos os dias e escovar apos todas as refeições.
Minha dentista afirma que a escovação deve ser com pasta sem fluor. A organização de odontopediatria diz que deve ser com fluor. Veja com seu pediatra e siga seu coração.

ALIMENTAÇAO
Tendo em vista que é bacana evitar e controlar a ingestão de doces nos primeiros anos, a crianca de dois anos estará menos exposta as caries, exceto pela acao da fermentação das comidas, frutas, leite e suco.
Uma crianca de um ano e meio que ja come brigadeiro, chocolate e sorvete, deve tomar as medidas preventivas mais cedo.

DENTISTA
Ate pode ser que não tivesse mudado a situação, mas uma visita com dois anos, ou ate dois anos e meio é essencial no MEU ponto de vista de mãe. Vai, leva a baby alive, passa um fluor e volta para casa.
Seguro morreu de velho.

ACIDENTES
Parece que é bem comum bater o dente na infancia. O que é muito importante é que esse dente seja avaliado o quanto antes. Um antiinflamatorio na hora correta teria evitado o dente da Be ficar preto como ficou.
Quando o dente fica mole ou quebra, ou mesmo trinca, podem entrar bacterias e comprometer a raiz do dente. Então sempre que bater o dente, vai num dentista para avaliar o dente e a raiz dele.


Fui quatro semanas seguidas na dentista.
Foi chato, caro e estressante para a Be. Ela estava com uma carie em cada dente.
Em um deles, tomou anestesia.
Ela foi boazinha e a dentista paciente, então não rolou stress nem trauma.
Foi necessario anestesiar um dente apenas - e ela saiu com a bochechinha torta nesse dia. De partir o coração!!!
Agora retornaremos em julho.



segunda-feira, 6 de março de 2017

the pursuit of happiness

Coloquei em ingles o titulo do filme porque a traducao não é literal.
Não é a PROCURA pela felicidade, mas a sua busca. A sua conquista.
E é curioso estar na declaração de independencia americana que todo o cidadão tem o direito a conquistar a sua propria felicidade.
Não é tê-la.
É conquista-la.

E para quem não viu esse filme, assista.
Vale cada cena.

Coloco aqui um trecho do filme:

"Nunca deixe ninguem te dizer que vc nao consegue fazer algo.
Nem menos eu.
Voce tem um sonho, vc deve protegê-lo.
Quem é incapaz, vai te dizer que vc não vai conseguir.
Se vc quiser algo, vá atras."

domingo, 5 de março de 2017

Minha avó

Estou sumida e peço desculpas por isso.
Bia esta super bem, adaptadissima na escola, e a vida esta seguindo.
Minha avo - mae da minha mae - ficou doentinha, e na quinta feira nos deixou.
De todos os acontecimentos que marcaram os ultimos meses, posso dizer que aprendi a lidar com a vida e a morte de uma forma diferente.
Minha avo teve uma vida plena e longa, e aos 97 anos, ja estava desconectada de nos ha dois anos. Eu sentia que ja a tinha perdido, pois ja nao podia mais conversar com ela.
Mas ver o caixao fechar e a terra cobri-lo foi phoda.
ACABOU.
Doeu muito.
Dificil demais perder uma pessoa que amamos.
Mas no final, a morte faz parte da vida.

E minha vida continua, agora sem ter a minha avo para compartilhar, mas sei que ela estara no ceu, me abencoando e torcendo por mim sempre.

Estou com planos que andam me consumindo muito, motivo pelo qual tenho andado sumida. Mas estou bem. Enquanto os planos estiverem na esfera das ideias, dizem que o segredo é essencial. Por hora mantenho os planos em segredo, mas assim que forem mais concretos, que eu mesma tiver mais certeza das coisas, virei correndo para contar para vcs!!!

Ponderem sobre as pessoas que amamos, e o que podemos fazer em vida para elas. Fico com minha consciencia tranquila de ter sido uma boa neta, carinhosa e presente. E poder hoje ter tantas boas memorias dela.
Boa semana!!!!


segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

1a aula de ballet e medo

Na quarta feira levei a Be para fazer a aula de ballet na tal escola perto de casa. A escola é o maximo. PROFISSIONAL com letra maiuscula. Eles respiram ballet e posso adiantar que a aula, embora recreativa, ja demostrava sinais claros de cosciencia corporal, comandos e alguns passos, como o plie e primeira posicao. Tudo muito, muito sutil.
Aula lotada, bombando.
Durava 50 minutos, os quais fiquei na porta babando, junto com outras maes.
Achei curioso perceber que no meio da aula a Bia estava conversando com outra crianca. Elas se identificaram logo e estava brincando, conversando - sabe-se la o que. rsrsrsrsrs
Puxou a mae, porque logo ingressei uma conversa com outra mae.
- É a primeira aula de ballet da minha filha, disse eu.
- Ah, vc vai se apaixonar! Eu faço aula aqui, minha mais velha e aquela é a minha mais nova. A escola é o maximo. A apresentação é impecavel. A unica parte ruim é o segundo semestre, porque fica muito tenso por conta da apresentação.
- A sua turma né? Mas das meninas não.
- A escola toda. Não pode faltar a partir de setembro.

Ela me explicou, inclusive me mostrou as fotos. Realmente, a apresentacao era impecavel. Eles nao estavam ali de brincadeira, a apresentacao do fim de ano era a vitrine deles e uma crianca de tres anos não poderia fazer pouco. Eles eram profissionais e cobravam uma postura profissional de todos. Das maes e das criancas.

Era mesmo isso que eu queria?
Me doeu.
Expor Beatriz a esse stress todo?
Aos tres anos, a ultima coisa que eu quero é que ela tenha cobranças.

Senti que na hipotese dela se identificar no ballet e querer segui-lo, seria ali que eu voltaria. Mas nesse momento...nao.
Hoje a Be vai ter uma aula teste no ballet do clube.

Vai almocar no clube, dormir la e busco ela. Troco, a levo para a aula com a coleguinha de sala e então retornaremos para casa.
...

Estando ali na escola de ballet ou no clube, muitas vezes me sinto numa ilha.
Embora esses dias estejam muito quentes, na escola tinha um ar condicionado com a temperatura agradavel.
Ao meu redor, babas de branco com as criancas de rosa.
No ambiente, tocava aquela musica classica tipica de ballet.
Sai de la, caminhei poucos passos ate meu carro.
Segurei a bia. Segurei minha bolsa. Olho ao redor antes de abri-la e entao abro, pego a chave do carro e coloco a Bia dentro, com cadeirinha e cinto de seguranca o mais rapido possivel.
Nao podemos dar bobeira.
Ja falei aqui o medo que sinto?
Ja falei que ando de vidro fechado?
Ja falei que o ma insiste para que eu ande de carro blindado? (eu prefiro o sem blindagem porque me da uma certa claustrofobia, fora que acho que o blindado chama mais atencao)
Entramos rapido no carro e voltamos para casa.

Na volta da escola da Bia, passamos todos os dias pela Av Helio Pelegrino. Ali esta sempre parado, em frente ao quartel dos bombeiros. O ma ja foi assaltado ali. Fico ali dez minuto, todos os dias.
Do outro lado da rua, uma famila mora la, e deixa ao redor placas escritas que precisam de fraldas, leite, comida, roupas.

Aquilo me embrulha o estomago. É uma questao tao complexa que raramente eu exponho no blog, para nao ser polemica.
Eu tambem preciso de muitas coisas.
E aquela familia imensa tem muitos adultos capazes de sair para trabalhar.
E ha pouco trabalho.
Ha pouca oportunidade.
Mas sempre ha grama para ser aparada. Carro para ser lavado.
Cresci ouvindo que o trabalho dignifica.
E ha uma grande parcela de encostados, que acreditam que os que tem mais - ainda que esses tenham conseguido algo atraves de seu suor - devam repartir com os que tem menos.
Assalto.
Violencia.
Inseguranca.
Manifestacoes de sem teto que invadem predios. Invadiram um predio que aguardava alvara de demolicao na prefeitura. O predio fica na marginal pinheiros, logo atras do shopping iguatemi, no bairro jardim paulista. O metro quadrado de la deve ser uns 15-12mil.
Porra, entao vc rala pra caramba para comprar um apartamento, paga 12mil no metro quadrado e na semana seguinte tem um predio invadido ao seu lado. TROXA.
E nao da para sair na rua.
Impossivel comprar um pao a pe.
Medo.

Saio com a Bia a pe aqui nos nossos quarteiroes. Bia, da a mao.
Quando estamos em alguma loja e estou com as maos ocupadas, Bia, segura na minha perna.
Nunca paro perto da porta.
Sempre sento a Bia nos restaurantes longe da porta.
Ando com uma especie de panico crescente.
Nunca fui medrosa. Pelo contrario.
Mas nao sossego mais. Tenho medo.
Medo de ser assaltada.
Medo que me roubem a Bia.
Andaram falando sobre trafico de orgaos.

Medo me ronda.

Sempre que preciso ir a 25 de marco, e vou pelo menos todos os meses, sempre paro com os manos. Acho o estacionamento um roubo e onde moro, nao compensa ir ate um metro. Entao sempre parei com os manos. Eles poe a zona azul e caso nao precise, cobram 7 reais. Costumo ser bem rapida, raramente, ultrapasso esse valor. Sempre paro com os guardadores nesse locais mais cheios: rua santa rosa, bras (quando eu ia comprar uniformes para a empresa), 25.
Dia desses, ouvi de um deles, pela primeira vez: cuidado com a bolsa.

Uso uma bolsa tiracolo, dessas que da para cruzar na frente. Minima. Chave do carro, escova de dentes, carteira, celular. De ziper.

Ja nem me lembro mais a ultima vez que usei uma bolsa grande.

Que carreguei mais que cinquenta reais na carteira.

Que usei uma joia.

Comeco a me perguntar se é essa a vida que quero para Beatriz.
Uma vontade de ir embora do meu pais, da minha cidade, me invade e me domina, pela primeira vez.